Casos de Sucesso \ 14 de julho de 2015

Caso de Sucesso Wix – Pryscila Vieira, Cartunista e Amely, Sua Fiel Personagem

O caso de sucesso Wix de hoje é o da encantadora, divertida e criativa cartunista Pryscila Vieira que, como muitos de nós, teve que largar de um sonho para perseguir um sonho profissional ainda maior.

Alguns de vocês podem a conhecer pelo nome, mas muitos, com certeza, conhecem sua personagem Amely, publicada toda semana na Folha de São Paulo.

Hoje sua personagem tem um site próprio e comemora seus 10 anos de vida cheia de novidades. Que tal conhecer um pouquinho mais da intimidade e do trabalho desta incrível artista e ficar por dentro das novidades da personagem?

Crédito: Eduardo Macarios

Quem é a Pryscila Vieira?

Pryscila Vieira, cartunista. Idade não revelada nem com cócegas nos pés (o que significa que já passou dos trinta). Nasci em Curitiba sob Sol no difamado signo de Escorpião e sem anjo da guarda cabalístico definido. Por conta dessa conjunção astral, sou tomada por uma constante agitação emocional (vulgo TPM) catalisada em ácidas críticas gráficas contra a sociedade.

Crédito: Pablo Contreras

Como surgiu o desejo de trabalhar como cartunista?

As coisas foram acontecendo, como se as cartas já estivessem marcadas. Fui tropeçando num mestre aqui, num prêmio de desenho ali, num trabalho acolá… e aos poucos abri mão do sonho de ser veterinária para fazer algo que eu gostava ainda mais: criar personagens e dar vazão aos meus mais sórdidos pensamentos. Quando percebi, já estava respondendo “cartunista” nos cadastros que perguntavam profissão. Certa vez, quando disse que era cartunista, um senhor pediu para que eu lesse o futuro dele nas cartas. Achou que fosse cartomante. Logo previ que o futuro dele não seria muito brilhante.

Como foi o caminho entre começar a desenhar seus quadrinhos e publicá-los na Folha de São Paulo? 

A autoconfiança é irmã gêmea da imprudência, por isso nunca sei com qual das duas estou saindo. Se estou diante de uma proposta ousada e que não faço a mínima ideia de como executar, meu ímpeto é o de aceitar e descobrir como resolver, porque confio plenamente no poder da criatividade e do improviso. Sinto que nada é impossível e olho para o lado… será a Imprudência ou a Autoconfiança? Tão parecidas essas mocinhas…

Fato é que eu arrisco. Mandar e-mails, criar site novo, mostrar seu trabalho para o mundo. Uma hora ou outra, algum editor cai na sua graça e você começa a fazer graça para o mundo.

Crédito: Pablo Contreras

Quem é a Amely e como ela foi criada? 

Amely é uma boneca inflável batizada sob essa graça por conta do samba “Ai que saudades da Amélia”, saudosa por ser uma “mulher de verdade”, um exemplo de resignação.

Mas a Amélia renascida nos quadrinhos discorda da crença de que a mulher deva anular-se por qualquer motivo.

Amely chega por encomenda à casa de seu comprador com dois “defeitos” de fabricação: ela pensa e fala. Torna-se uma mulher real, com vontade própria, apesar de seus compradores não esperarem nada dela além do que um objeto pode oferecer.

Os cartoons de Amely tratam dos sentimentos de alguém que não esperamos que os tenha, muito menos que os expresse tão veementemente. E num mundo por vezes machista, algumas mulheres deparam-se com situações semelhantes às dos quadrinhos.

O comprador da “real doll” Amely, resolve adquiri-la porque empreguiçou-se de conviver com mulheres do mundo real. Ele planeja que sua compra traga a mulher que, para ele, seria perfeita: a que não tentará julgá-lo. E tudo isso por um preço módico. Mas a solução de seu problema dura pouco, pois Amely recusa-se a ser um mero objeto. Ela quer ser seduzida, quer preliminares, atenção, amor e carinho… como toda mulher de verdade.

Por favor, conte-nos um pouco sobre os 10 anos da Amely, o que ela defende, o que ela quer trazer aos leitores. 

Amely fala dos sentimentos de alguém que não esperamos que os tenha, muito menos que os expresse tão veementemente. Essa personagem traz em si algo que vocifera “as aparências enganam!”. E, realmente, enganam. Julgar o livro pela capa, sem apreciar seu conteúdo, é um erro. Julgar pessoas a partir de estereótipos, também é erro. O leitor de Amely perceberá que, por trás de um visual fútil de uma boneca inanimada destinada aos relacionamentos impessoais, há um discurso que luta contra a “desobjetificação” da mulher na sociedade. Amely representa a luta contra os estereótipos, a busca da tolerância e do respeito.

Quando você percebeu que a Amely precisava de um site próprio?

Eu já não me sentia bem com um blog jurássico que eu alimentava há vários anos. Era como ir a uma festa luxuosa usando um pijama furado. As coisas mudam, evoluem. Eu vinha percebendo cada vez menos visitantes nesse blog, pois os leitores se entediam com algo tão sem recursos. Então, passei a desenhar um site para Amely: bonito, divertido, que englobasse todo o universo dela. Mas eu achava que executá-lo seria dispendioso, caro e que eu não conseguiria manter o controle administrativo. Ledo engano… eu ainda não conhecia o Wix.

Conte-nos um pouco sobre a criação de seu site. 

Numa mesa de boteco, encontrei um amigo publicitário mega antenado, que ficou possesso com o fato de eu ainda não ter desenvolvido o site da Amely, de quem ele é fã. Bronca dada, ele me indicou uma outra plataforma de desenvolvimento de sites, que eu procurei, mas não gostei. Então, fui em busca de outra alternativa. Foi quando me deparei com excelentes comentários de usuários do Wix ao redor do mundo. Decidi conhecer o Wix e, claro, foi amor à primeira vista. Quem diria! Eu era daquelas pessoas que não se imaginava fazendo um site sozinha. Para mim, era coisa de outro mundo. Mas pasmem: eu fiz tudinho, de maneira fácil, rápida e super assistida. Até um e-commerce eu criei! Assim nasceu o amelyreal.com

Estou me sentindo poderosa. E nem precisei comprar um batom novo para isso.

Como será a comemoração dos 10 anos da Amely?

Para começar, uma exposição com a retomada da história da personagem, que passará por Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro entre 2015 e 2016.

Estou lançando a escultura da boneca Amely que eu mesma fiz. Ela é do tamanho de uma Barbie, finalizada em resina. Linda!

Em julho, temos o novo site amelyreal.com que abriga um blog, galeria de tirinhas e uma loja super exclusiva com produtos da personagem como relógios, pôsteres, camisetas, canecas, tirinhas e as esculturas das bonecas.

Para o fim do ano, está previsto o lançamento de uma edição luxuosa do livro da Amely, com capa inflável, pop ups e uma centena de tirinhas comentadas, porque por trás de toda piada, existe um conceito.

Até uma peça teatral está sendo desenvolvida para estreia entre 2015 e 2016 em São Paulo. Espero que passe por outras cidades do Brasil também. E a cerejinha do bolo é outra novidade: surgiu o convite para o desenvolvimento de uma série de TV. Imagina só?!

Estou muito feliz com o sucesso da personagem depois dessa primeira década de trabalho.

Como será a exposição e por onde ela passará?    

A exposição conta com sessenta tirinhas selecionadas desses dez anos de existência da personagem. Cada um dos três quadros da tirinha é impresso em azulejos envernizados. O resultado, fruto de uma parceria minha com a Carbonar Comunicação Visual, acabou por criar uma apresentação inédita de quadrinhos de humor no mundo. Todas as tirinhas estarão à venda no site amelyreal.com.

Além disso, eu mesma esculpi a boneca em resina, em dez temas diferentes. Esse fato também é inovador no universo do cartoon: o próprio autor ser o escultor de seu personagem.

Outras brincadeiras também foram criadas para o ambiente das exposições, como o display de uma Amely gigante que sai de um bolo de aniversário e alguns cubos com desenhos com os quais os visitantes poderão interagir.

A exposição estará na Gibiteca de Curitiba de 16 de julho até 13 de setembro, de onde partirá para a Galeria Ornitorrinco (SP), com inauguração no início de outubro.

Todos estão convidadíssimos a visitar as exposições e o meu novo, lindo e maravilhoso site “amelyreal.com“.

Visite a exposição:

Curitiba

Datas: 16 de julho até 13 de setembro

Local: Gibiteca de Curitiba

Endereço: Rua Carlos Cavalcanti, 533 – Centro