top of page

Como criar um NFT (e o que todo artista deve saber sobre criptografia)

Atualizado: 9 de set. de 2023


Como criar um NFT (e o que todo artista deve saber sobre criptografia)


Embora Kevin McCoy tenha criado seu primeiro token não fungível (NFT) em 2014, o meio realmente explodiu entre os artistas somente em 2021. No ano passado, os NFTs envolveram os diferentes universos de criadores e colecionadores: vimos artistas já famosos e emergentes criando coleções cobiçadas avaliadas em milhões, grandes marcas e celebridades gerando NFTs, além de instituições de arte de prestígio, como Christies e ArtNet, entrando na onda.


O que está impulsionando esse boom? Como blogueiro de design de sites (você já criou o seu?), eu me fiz essa pergunta diversas vezes no ano passado.


Os artistas estão aproveitando a oportunidade para criar NFTs e ganhar vantagem ao participar da tendência desde seus estágios iniciais. Mas apesar de muitos setores estarem caminhando em direção à "revolução cripto", o hype em torno do movimento NFT é recebido com crescente ceticismo.


Neste artigo, falarei sobre os fundamentos do NFT, apresentando alguns benefícios e armadilhas da tecnologia blockchain. Além disso, abordarei como fazer um NFT e disponibilizá-lo em um marketplace:



O que são NFTs?


A arte digital não é novidade. Mesmo artistas consagrados usam mídias digitais — como o pintor David Hockney, que aos 84 anos cria trabalhos digitais em um iPad. Mas, embora existam vários formatos para exibir essas obras digitais, não há como estabelecer seu valor original.


Quando se trata de uma obra de arte física, a autenticidade (e o valor de mercado) é determinada por meio de observação cuidadosa e experiência. É difícil fazer isso com um arquivo digital básico. Um JPG, por exemplo, pode ser encomendado e vendido, mas depois de ser enviado por seu criador, não há mais como distinguir o original da cópia. Ele pode ser facilmente baixado novamente ou copiado e colado.


É aí que entram os NFTs, que tornam possível a autenticação transparente e, portanto, a monetização de arquivos digitais. Um NFT é uma unidade digital de dados cuja localização é armazenada em um blockchain. Em termos leigos, quando você tem uma arte digital em NFT, ela é marcada com um código que autentica sua localização em um blockchain. Embora os NFTs possam conter diversos formatos, eles são mais comumente associados a arquivos de imagem, áudio e vídeo.



NFT da Extraweg exibido em seu site de portfólio

NFT da Extraweg exibido em seu site de portfólio



Como criar e vender seu NFT


Assim como iniciar um negócio, um novo empreendimento artístico freelance como a criação de um NFT requer algumas etapas e uma estratégia sólida. Testei o processo de criação e resumi as etapas preliminares abaixo. (Embora meu NFT não esteja à venda, qualquer interessado pode sentir-se à vontade para me enviar um email).


Dica profissional: os NFTs são novos e dinâmicos. Embora sua natureza incipiente possa beneficiar algumas pessoas, vale a pena pesquisar e manter-se a par das mudanças no setor se optar por criar e vender NFTs.




1. Configure uma carteira digital


Antes de criar um NFT, você precisará configurar seu blockchain, o que inclui ter uma carteira digital para armazenar criptomoedas.

Uma carteira digital é um sistema de software que pode ser usado para concluir transações no mercado de NFT. As carteiras digitais armazenam com segurança moedas (incluindo ativos criptográficos), NFTs e informações de pagamento, viabilizando compras online rápidas e simples.


Para criar uma carteira digital, você precisará instalar um aplicativo de carteira digital (Coinbase e Metamask são duas opções populares para NFTs).


O cadastro será feito usando uma conta de email, e você receberá uma frase secreta de recuperação. Seu software de carteira digital não ajudará você a recuperar essa frase super segura de doze palavras em nenhuma hipótese, então anote-a, salve-a em um aplicativo de armazenamento de senhas, tranque-a em um cofre ou o que for — apenas não a perca.



2. Adicione criptomoedas


Dinheiro e cartões de crédito ainda não têm valor no mercado NFT (isto está mudando aos poucos). Nele, você usará criptomoedas — a forma de pagamento segura e descentralizada baseada na tecnologia blockchain — para comprar, cunhar e vender NFTs. A principal criptomoeda utilizada no mercado NFT é o Ethereum (ETH), que pode ser adquirido diretamente no Metamask.



3. Escolha um marketplace


Para entrar no universo de NFTs, é preciso escolher o marketplace certo. Rarible e OpenSea são opções populares, mas artistas freelance podem aproveitar qualquer uma das dezenas de plataformas disponíveis.


Os dois marketplaces mencionados acima oferecem “lazy minting”, uma boa configuração para iniciantes que permite aos usuários repassar a taxa de cunhagem para o comprador. Se você decidir entrar, provavelmente terá que pagar uma taxa de ativação (que varia entre US$ 30 e US$ 400). Quando vender, o marketplace provavelmente também terá uma porcentagem (de aproximadamente 2,5%).



4. Conecte sua carteira digital


Para fazer login no marketplace selecionado, você precisará conectar sua carteira digital. Então, você será encaminhado ao seu painel de controle do marketplace, onde poderá explorar as coleções de NFT e, o mais importante, começar a criar.



5. Faça o upload de sua arte digital


Ao clicar no botão “criar”, você entrará no mundo da arte digital. Neste momento, será preciso escolher a moeda de blockchain que você usará para cunhar seu NFT e decidir se quer criar uma ou várias cópias. Em seguida, será possível fazer o upload do arquivo selecionado.



6. Disponibilize seu item no marketplace


Antes de transformar seu arquivo digital em um NFT comercializável (um processo conhecido como cunhagem) e descobrir como ganhar dinheiro com NFT , você deve tomar algumas decisões:


  • Defina um preço: para disponibilizar seu NFT no marketplace, você pode definir um preço fixo, permitir que os usuários façam lances ou organizar um leilão cronometrado. Ao precificar, considere a taxa de conversão de R$ para ETH.

  • Inclua conteúdo adicional para ser desbloqueado após a compra: embora não seja obrigatório, muitos artistas enviam ao colecionador uma imagem completa de alta resolução da obra de arte ou um material adicional após a compra.

  • Escolha a coleção: se você planeja adicionar mais arquivos de arte a esta série, considere criar uma coleção própria para ser gerenciada por você. Caso contrário, permaneça com a coleção padrão do seu marketplace.



7. Selecione o tipo de cunhagem


Chegou a hora de “cunhar” (ou autenticar) seu NFT. Você deve pagar uma taxa de gas — a taxa que você paga ao blockchain Ethereum para concluir o processo de criação — ou optar por lazy minting.


Se você escolher concluir o processo, saiba que as taxas de gas variam de acordo com o mercado. O lazy minting, no entanto, armazena seu trabalho no marketplace e transfere a taxa de gas para o comprador.



8. Adicione um nome, descrição e taxa de royalties


Nenhuma obra de arte está completa sem um título. Adicione um nome e uma descrição ao seu NFT para que os colecionadores o vejam oficialmente no marketplace.


Depois de cunhar seu NFT, você pode anexar uma taxa de royalties contínua a ele (até 50%). Ao criar e vender NFTs, todas as transações são registradas em um blockchain, e os criadores podem não apenas acompanhar seu histórico de vendas, como também ser compensados ​​sempre que realizarem uma venda.



9. Assine e compartilhe


Após a conclusão dos detalhes finais, seu NFT está pronto para ser comercializado. Você só precisa fazer o upload do arquivo digital e aprovar a transação com sua carteira digital. Dependendo da plataforma, pode ser necessário pagar uma taxa de ativação.



10. Crie um portfólio para seus NFTs


Embora você possa esperar que a "badalação" natural dos marketplaces de NFT gere interesse em seu trabalho, existem maneiras mais estratégicas de chamar a atenção e vender sua arte online. Um método popular é criar um site para mostrar seu trabalho online.


Mike Winkleman, também conhecido como Beeple, inaugurou uma nova era para o mercado de arte com a venda de seu NFT "Everydays, The First 5.000 Days" por US$ 69 milhões na Christies. Beeple utiliza os recursos de design do Wix para proporcionar uma experiência de visualização de alta qualidade do seu portfólio online, que apresenta uma impressionante variedade de trabalhos. Embora os visitantes não possam comprar NFTs diretamente do seu site, Beeple inclui um link para o seu marketplace no menu (com a atraente chamada “colecionar”), direcionando os visitantes interessados.


Confira alguns dos melhores sites de portfólio criados no Wix para mais inspiração ao criar seu portfólio.



Os NFTs são realmente o futuro?


Está claro que a acessibilidade dos NFTs preencheu uma lacuna no mundo criativo. Ao utilizar um mercado fácil, seguro e descentralizado para a venda de colecionáveis ​​digitais exclusivos, os artistas estão descobrindo nos NFTs uma oportunidade de lucrar de novas formas com seus talentos.


Dito isto, vamos conferir alguns prós e contras desse fenômeno:



Prós


Os NFTs apresentam um valor de mercado em expansão


Além de ter sido escolhida como a “palavra do ano” em 2021, o mercado de NFT explodiu de US$ 100 milhões em 2020 para mais de US$ 40 bilhões em 2021. Algumas das vendas individuais de NFT mais altas chegaram a US$ 30 milhões.


Por mais promissores que esses números pareçam, ninguém pode prever como a demanda futura afetará esse mercado incipiente. Ainda assim, o movimento é intenso no momento, e até mesmo plataformas de redes sociais como o Instagram discutem a introdução de NFTs para seus usuários.



Os artistas sentem-se inspirados com a alta criatividade e a colaboração


Há um forte estímulo à inovação por trás da veneração dos NFTs. Os criadores vão de gamers e artistas a celebridades, grandes marcas, cada um trazendo abordagens inovadoras para o meio digital.


Os artistas e profissionais criativos podem aproveitar esta oportunidade para criar em uma infinidade de temas e formatos. A diversidade que o mercado NFT trouxe apresenta um potencial único, com fotos, ilustrações exclusivas, GIFs e até mesmo tweets (confira este exemplo de Cent, que vendeu um tweet por US$ 3 milhões em 2021).


A colaboração de grandes marcas com designers incentiva marcas menores a seguirem o exemplo. Isso também abre as portas para designers gráficos, ilustradores e artistas digitais buscarem oportunidades de criar ativos personalizados que serão cunhados em NFTs.



O mercado NFT pode ajudar a atingir novos públicos


Tanto no mercado de arte físico quanto no digital, formar uma rede profissional é uma parte importantíssima do trabalho. Desde críticos, galeristas e colecionadores até efetivamente o seu público, é preciso tempo para construir essa comitiva de entusiastas da arte para apoiar o seu trabalho. No início da carreira em particular, isso é tão importante quanto as vendas.


Apresentar seus NFTs em um marketplace pode despertar o interesse de colecionadores que, de outra forma, não veriam o seu trabalho. Mesmo que você não venda, adicionar coleções de NFTs ao seu portfólio e contas de redes sociais mostrará às pessoas que você está por dentro das tendências no mundo da arte.



Contras


A maioria das plataformas tem taxas de gas flutuantes


Da cunhagem à venda, todas as transações em um blockchain como o Etherum exigem taxas de gas que flutuam drasticamente. Isso pode surpreender muitos criadores que acreditam que podem entrar no mercado sem nenhum custo. Embora muitas plataformas permitam que você repasse essas taxas para o comprador, é importante estar ciente delas.



O mercado NFT não é estático


Apesar do que você possa ter ouvido, não espere uma multidão de colecionadores interessados em investir nos seus NFTs. Embora os números do mercado sejam impressionantes, ele ainda é volátil e imaturo. Isso faz com que seja difícil contar com a negociação de NFTs para a obtenção de lucro, além de que muitos colecionadores estão cada vez mais cautelosos em relação aos seus investimentos.



Há controvérsia em torno dos impactos ambientais


A maioria dos mercados NFT se baseiam no blockchain Ethereal, que deixa uma pegada de carbono substancial no meio ambiente. No entanto, existem muitas plataformas e criadores defendendo NFTs limpos, e há esperança de que essas preocupações sejam abordadas e resolvidas em um futuro próximo.



5 exemplos de NFTs no marketplace


Mergulhamos no marketplace de NFTs e conferimos algumas das obras de arte e transações mais populares do ano passado.



01. Ponderware, Mooncat #21, 2017


MoonCats é a arte de NFT mais antiga criada no blockchain Ethereum e foi lançada em 2017, antes que o termo “NFT” fosse estabelecido. Este trabalho em particular é um dos primeiros MoonCats já cunhados. Em 2021, a coleção MoonCats chegou a 25.440 obras cunhadas e possui um valor histórico e de mercado significativo para os colecionadores.



Ponderware, Mooncat #21, 2017



02. Rewind Collective, Double Exposure - Frida #1, 2021


Outra NFT vendida no principal leilão NFT da ArtNet em 2021, o Double Exposure - Frida #1 reflete a respeito das crises de identidade da artista Frida Kahlo, usando o conceito fotográfico de “dupla exposição”, além de incluir um componente físico. Os criadores do Rewind Collective são artistas e curadores cuja missão é promover mulheres e artistas pertencentes a minorias no universo da arte digital.



Rewind Collective, Double Exposure - Frida #1, 2021


03. Pak, Mass Banner, Merge collection, 2021


O Merge by Pak foi o NFT mais caro vendido em 2021. Por um valor total de US$ 91,8 milhões, Pak distribuiu o NFT em 266.445 unidades adquiridas por 28.000 compradores na plataforma Nifty Gateway.



Pak, Mass Banner, Merge collection, 2021


04. Finestrares (Jason Rosenstein), Salvadore Pepe - Series 13- Rarepepe, 2017


A coleção Rare Pepe de Rosenstein consiste em 20 obras avaliadas em US$ 20-40 milhões. Salvadorpepe-Series 13, uma homenagem à arte surrealista, fez parte do primeiro leilão NFT oficial da Art Net, Art NFT: The Beginnings, em 2021. É também o primeiro NFT apresentado em um museu de arte moderna.



Finestrares (Jason Rosenstein), Salvadore Pepe - Series 13- Rarepepe, 2017


05. Beeple, Everydays, The First 5,000 Days, 2007-2021


O NFT que revolucionou o mercado, Beeple's Everydays, The First 5.000 Days foi o primeiro NFT vendido por uma grande casa de leilões. Beeple, também conhecido como Mike Winkelman, criou a colagem digital exclusiva combinando 5.000 fotos que ele criou e postou, diariamente, desde 2007.



Beeple, Everydays, The First 5,000 Days, 2007-2021


Por que os NFTs atraem artistas e colecionadores?


Como a localização autêntica do NFT é armazenada em um blockchain, não há como confundir seu valor ou sua propriedade. Não fungível significa não intercambiável, e qualquer NFT cunhado é autêntico e nunca poderá ser duplicado de forma verificável.


Claro, você pode copiar qualquer arquivo que quiser (mesmo um NFT), mas apenas uma pessoa terá a posse da localização do NFT. Baixar uma imagem sem comprar seu NFT é como comprar uma impressão da Mona Lisa em uma loja de museu: você pode até gostar da imitação, mas não terá como reivindicar sua propriedade.


Com os NFTs, é possível identificar a propriedade de uma obra de arte digital original e atribuir-lhe um valor. Essa combinação de prova de propriedade com processos computacionais inteligentes encorajou muitos colecionadores a recorrer ao mercado de NFT e inspirou muitos artistas freelance a criar desta forma.



Por Bernardo Schanz

Blogger & Growth Marketing Specialist - Português

pt03.png
bottom of page