Web Designer: Guia completo sobre a profissão e o mercado



Pense em quantos aspectos da sua vida passaram a ocorrer na internet nos últimos dez anos. Os serviços de streaming substituíram não apenas as locadoras, mas também os cinemas e canais de televisão para muitos de nós. Os sites de comparação de preços substituíram agências de viagem e inúmeros outros serviços de intermediação. Até mesmo amizades e namoros são formados e fortalecidos através de aplicativos e algoritmos.


O consumidor vai à internet em busca de comodidade. Por quê carregar as compras para o porta-malas e depois ter que carregá-las novamente para casa se é possível comprar pela internet e recebê-las na porta de casa? Por quê ficar ouvindo a música de espera no telefone ou (o horror!) ficar em pé na fila para pagar uma conta, se é possível resolver pela internet sem sequer precisar falar com um ser humano? Para atender a estas demandas e estar onde seus clientes estão, criar um site passou a ser imprescindível para qualquer empresa ou profissional.


À medida em que mais e mais negócios se fazem presentes na internet, ter um site profissional passou a ser tão importante quanto (ou até mais do que) ter um escritório imponente e um cartão de visitas memorável. É por isso que o web design está em plena ascensão e os web designers se tornaram profissionais altamente requisitados. Muitas pessoas estão buscando informações sobre a profissão de web designer, sobre o mercado de web design e sobre como se tornar web designer, por isso preparamos esse guia completo que responde a todas essas dúvidas!



O que é Web Design?


Para começar a definir o web design em termos mais concretos, usando conceitos que todos conhecemos do mundo fora da internet, podemos afirmar que o web design é parte do design gráfico. Entre as diversas áreas de estudos e atuação dentro do mundo do desenho, o web design se especializa na criação e no desenvolvimento de interfaces com o usuário através da internet, em sites e aplicações web.


Com a transposição da economia e do mercado de trabalho para a internet, surgem novas aplicações para o marketing das empresas e dos profissionais autônomos, e o web design é um braço do branding, pois ajuda a estabelecer a identidade da marca. Em um ambiente competitivo, onde todos os concorrentes já estão na internet e 93% dos consumidores consideram a aparência visual como o elemento chave da decisão de compra, a mera presença da sua marca na web não é mais suficiente. É preciso ter um site profissional, que ofereça todas as informações, os produtos e os serviços que o público busca. O web design pode ajudar sua empresa a aumentar a taxa de conversão, criando um site impecável que será o diferencial para o cliente optar por você em meio a um mar de opções.



O que faz um Web Designer?


O web designer é o artista do computador. O profissional do web design concilia elementos fundamentais, como beleza, utilidade e experiência de navegação. Como esses elementos nem sempre caminham na mesma direção, o web designer precisa buscar seu equilíbrio, identificando quais aspectos são mais relevantes para determinada marca, e saber enfatizá-los sem abrir mão dos demais.


Como o nome já diz, o web designer é o designer que cria para a web. Em termos mais concretos, cabe ao web designer aplicar os Fundamentos do Design à criação de sites. Elementos conhecidos de qualquer designer, como teoria das cores, diagramação, gestalt e tipografia são usados pelo web design para comunicar ao público a mensagem do cliente.


Um bom web designer deve ser capaz de compreender os objetivos e as necessidades de cada cliente, e traduzi-los em termos de estética e funcionalidade para criar o site. É preciso levar em conta a utilidade, a usabilidade e experiência de navegação para transformar a beleza do site em performance. Em última instância, o objetivo do web designer é a conversão, seja ela a venda, assinatura ou agendamento de um serviço.





O Web Designer precisa saber programar?


Em teoria, ou em mundo ideal, o web designer focaria apenas nos elementos visuais (que não são poucos!), enquanto o web developer estaria a cargo da criação estrutural do site. O trabalho do desenvolvedor web usa as mais variadas e complexas linguagens de programação e o web designer fala a língua dos humanos. Entretanto, na realidade do mercado de trabalho, esta divisão não é tão bem definida, e está ficando cada vez menos clara. Como diz o ditado, "na prática, a teoria é outra".


Assim como o web developer também é um ser humano e entende a linguagem do web designer, cabe ao web designer adquirir ao menos noções básicas do idioma dos computadores. Desta forma, é possível entender melhor o trabalho e os desafios que surgem no desenvolvimento dos sites, até mesmo para perceber como o design pode ajudar a solucioná-los.


Conhecimentos de programação podem ser um grande diferencial para um web designer, principalmente para quem trabalha como freelancer ou presta serviços para pequenas empresas, com orçamentos limitados. Para abrir essas portas, é recomendado conhecer as linguagens principais, como HTML, CSS, PHP e ASP. No entanto, uma plataforma completa de desenvolvimento, como o Corvid by Wix permite a criação de aplicações web avançadas de forma visual a intuitiva, e pode ser utilizada por web designers de diferentes níveis de conhecimento de programação.



Qual é a importância do web design no mercado?


Com a crescente relevância da internet para a economia, o web design possui um potencial de crescimento infinito. A expansão do acesso à internet a cada vez mais pessoas nos leva a uma realidade onde praticamente todas as interações humanas e transações comerciais ocorrem online, e podemos afirmar sem sombra de dúvida que a importância do web designer é um fenômeno irreversível.


Essa importância do web design se reflete nos mínimos detalhes, e não poderia ser diferente. Conciliando a delicadeza do design com a performance do marketing para alcançar seu objetivo final de conversão, o web designer deve estar atento a tudo. Para explicarmos sua relevância no mercado de forma mais clara, precisamos destrinchar dois conceitos importantes: UX e UI.





UX e UI no web design: qual a diferença?


UI (User Interface ou Interface do Usuário) trata do aspecto funcional do web design. É a UI que define de maneira técnica como o público interage com o site e o que é apresentado na tela. A interface do usuário determina as funcionalidades oferecidas ao público, e é responsável pelo "compromisso" que construímos com os computadores, os sistemas operacionais e os softwares ao longo das últimas três ou quatro décadas. Graças à UI sabemos o que esperar de um dispositivo, e o que ele espera de nós.


UX (User Experience ou Experiência do Usuário) é sua contrapartida emocional. A UX é capaz de induzir alguém a continuar navegando pelo site, mas também pode levar alguém a desistir da página e ir visitar o concorrente. A experiência do usuário define como serão apresentadas e onde estarão posicionadas as funcionalidades que a UI determinou que serão oferecidas pelo site. A UX faz uma "promessa" pessoal ao público, oferecendo conforto e segurança em troca de sua confiança para seguir navegando e em breve finalizar sua compra ou agendar um serviço.



Como está o mercado de trabalho para o web designer?


O mercado de trabalho para web designers está bastante aquecido. Há uma grande oferta de vagas para profissionais do web design em empresas de todos os tamanhos, e muitos jobs disponíveis para os web designers freelancers. Agências de design de todos os portes e web designers freelancers podem cadastrar-se em sites como o Wix Arena, onde seu trabalho é exposto a potenciais clientes em busca de alguém que possa criar um site para seus negócios.


Com a constante expansão dos serviços para a internet, toda empresa, organização ou instituição se torna um potencial empregador ou cliente para os web designers. No dinâmico mundo em que vivemos, o web designer se tornou um profissional necessário em todo tipo de negócio, de forma similar a (ou com potencial ainda maior que) contadores, advogados e especialistas em RH.


Como profissional de web design, você pode trabalhar ou prestar serviços para:


  • Empresas de TI

  • Agências de publicidade

  • Lojas virtuais ou lojas tradicionais que queiram expandir para o eCommerce

  • Startups

  • Pequenos negócios

  • Profissionais autônomos e freelancers de outros ramos

  • Departamentos de comunicação e marketing de grandes empresas

  • Empresas públicas e autarquias


Além das inúmeras possibilidades de destinação final que o cliente vislumbra para o site, há também diferentes tipos de serviços oferecidos pelos web designers. Muitos web designers criam sites do zero, seja em conjunto com um web developer ou assumindo ambos os lados do projeto. Há também web designers especializados em criar templates para vender para pessoas interessadas em criar blogs. E um grande número de web designers e agências usam plataformas como o Wix, onde podem preocupar-se exclusivamente com o design (UI e UX), deixando a parte da programação por nossa conta - ou apenas dando seus toques pessoais no código através do Corvid by Wix.





Qual é o salário de um web designer?


Como em qualquer profissão, a remuneração do web designer varia em função de fatores como formação, experiência, qualidade dos trabalhos anteriores, talento artístico, além da área onde o profissional atua, com diferentes níveis salariais para cada estado, ou diversas cidades dentro do mesmo estado. Durante a pesquisa para este artigo (julho de 2019), o site Catho disponibilizava vagas para web designers com salários entre mil e nove mil reais, mas muitas fontes indicam que a média salarial dos web designers no Brasil gira em torno de três mil reais.


No caso dos freelancers, há ainda a variável do tipo de relação que foi definida com o cliente: o trabalho limita-se à entrega do site pronto ou há um acordo para que o web designer se encarregue da atualização e da manutenção do site ao longo do tempo? Nessa profissão, assim como em muitas outras áreas relacionadas à criatividade, como fotografia e arquitetura, nada fala mais alto do que o trabalho que você tem para mostrar, então é crucial criar seu site de portfólio com Wix para divulgar seu nome. Naturalmente, o web designer que optar pela carreira freelancer verá sua renda mensal oscilando em função da quantidade e do tamanhos dos clientes, além do vulto e da urgência dos projetos.



Quem pode se tornar web designer?


Qualquer pessoa com interesse e determinação pode se tornar web designer. É claro que o talento influencia o sucesso e sempre será um diferencial, mas é uma profissão com habilidades específicas, que são adquiridas através de estudo e treino. Pessoas com interesse por tecnologia, design, arte, comunicação, relações interpessoais, resolução de problemas e criatividade podem naturalmente ter mais facilidade.





Como aprender web design?


Não existe uma faculdade específica de web design, mas o caminho natural é estudar Desenho Gráfico e especializar-se em web design. No âmbito universitário, ou em cursos externos ou profissionalizantes, há alguns temas mais importantes a serem estudados. Primeiramente, cursos de direção de arte abordam elementos básicos, como identidade visual, cores e planejamento. Aulas de fotografia também ajudam bastante, especialmente nos casos em que não basta adquirir fotos de um banco de imagens, como lojas virtuais, que necessitam de fotos dos produtos e sites de serviços, que exigem imagens próprias das instalações.


É importante conhecer os principais softwares de edição de fotos e imagens. Há muitas opções no mercado, para todos os propósitos, gostos e bolsos. Os principais estão no pacote Adobe: Photoshop, InDesign e Illustrator. Mas também vale a pena estar familiarizado com CorelDraw, Axure, Adobe DreamWeaver, Fireworks, Gimp, Eclipse. Não há um único software que seja especialmente recomendado, mas é importante dominar ao menos um deles muito bem.


Além de cursos universitários e profissionalizantes, é possível aprender acompanhando sites sobre web design ou fazendo cursos pela internet. No entanto, de uma forma geral, o web designer deve ter consciência de que atua em um ramo em constante evolução, e estar sempre atento às mudanças à sua volta. Um bom web designer acompanha as mais novas tendências do web design e está sempre a par de novos softwares e tecnologias.



Dicas de web designers profissionais


Para finalizar, fomos conversar com os melhores profissionais do ramo. Os talentosíssimos designers do Wix Studio criam todas as nossas páginas e sites usando o Editor Wix, e são responsáveis pela criação de centenas de templates deslumbrantes. Esse povo lindo que vocês podem ver na foto abaixo deu algumas dicas para web designers iniciantes:


No início da carreira, criar sites para amigos, familiares, ONGs, ou qualquer um que precise de uma presença online, é a melhor forma de aperfeiçoar suas habilidades como web designer - e você ainda acabará com um portfólio bastante variado!

Para manter-me atualizado com as novas tendências do web design e todas as novidades do mercado, eu sigo e assino as mais diversas publicações sobre design, como Designspiration, Awwwards, Web Design Inspiration - na verdade, você pode começar agora mesmo assinando a newsletter do Blog do Wix :)

Nas redes sociais, minha maior fonte de inspiração vem de fora das plataformas mais populares. Vale muito a pena dar uma olhada em Dribble, Behance, Pinterest

Quando encaro um bloqueio criativo, procuro fazer qualquer coisa que não seja relacionada ao trabalho: saio para dar uma caminhada, vou ao cinema, visito uma exposição no museu da cidade. Levo minha mente para outros lugares, deixo as ideias refrescarem-se por um ou dois dias, e então volto ao projeto revigorada!

Crie (ou encontre) uma comunidade de designers - pode ser de carne e osso ou pela internet. Tendo à sua volta pessoas em quem confia, você se sentirá confortável para pedir opiniões e feedback sobre os projetos nos quais está trabalhando.




Pronto para conseguir seus primeiros jobs como web designer? Crie seu site de portfólio com Wix hoje mesmo!

pt03.png