top of page

Entendendo SEO técnico



Junte-se aos especialistas do Wix e Deepcrawl neste webinar para entender como manter seu site saudável para os motores de busca. Saiba como melhorar seu desempenho orgânico com as melhores práticas para resolver problemas técnicos comuns de SEO.




Neste webinar vamos abordar:


* Os fundamentos de SEO técnico


* Reconhecimento, priorização e resolução de problemas comuns


* Ferramentas e dicas para manter um site saudável



Sobre nossos oradores:


Nati Elimelech, Diretor de SEO técnico, Wix


Com mais de 15 anos de experiência, Nati ensina soluções avançadas para SEO, SEO em larga escala e a lidar com os desafios de infraestrutura de SEO para profissionais experientes e agências. Quando não está trabalhando com milhões de sites otimizados para SEO, Nati passa seu tempo com sua querida esposa, filha, gato e cachorro.




Chris Spann, Especialista sênior em SEO técnico, Deepcrawl


O Chris trabalha com alguns dos maiores clientes do Deepcrawl e é conhecido por fornecer recomendações de palavras-chave e resultados, abrindo o caminho para a identificação de oportunidades significativas. O Chris conhece muitos problemas de SEO e suas soluções.





Sobre nossa parceria: Deepcrawl


O Deepcrawl é uma plataforma SaaS pioneira que capacita marcas líderes mundiais a alavancar seus potenciais de receitas através do SEO técnico. Suas tecnologias empresariais em nuvem ajudam essas marcas a diagnosticar e resolver problemas de desempenho de seus sites. O Deepcrawl e o Wix formaram uma parceria para lançar um aplicativo personalizado para ajudar os usuários a identificar oportunidades de SEO. O aplicativo está disponível no Wix App Market.


 

Transcrição: Webinar Entendendo o SEO técnico


Oradores:


Edu Giansante, Diretor de comunidade, Wix

Nati Elimelech, Diretor de SEO técnico, Wix

Chris Spann, Especialista sênior em SEO técnico, Deepcrawl


00:03

Edu: Certo, estamos ao vivo agora. Nossos espectadores estão chegando, vejo muita gente e rostos novos entrando. Uau, quanta gente, que maravilha. Sejam todos bem-vindos ao nosso webinar incrível sobre SEO técnico. Hoje vamos ter a participação de dois profissionais excelentes conosco. Vamos esperar um pouquinho antes de começar. Enquanto isso, vou tentando quebrar o gelo aqui.


Na verdade, eu pedi sugestões ao pessoal sobre o que perguntar. Pensei em algo relacionado a músicas ou a bebidas, mas eles disseram que têm filhos pequenos e que essa fase já passou, então tive que pensar em outras outras. Enquanto isso, digam aqui no chat de onde vocês estão nos assistindo. Inclusive, quando escreverem no chat, vocês podem escolher a opção de deixar público para que todos vejam. Certo, meu Deus, que legal. Muita gente. Certo, Nati e Chris, já que você têm filhos pequenos, qual seria a habilidade que vocês sonham que seus filhos aprendam nos próximos cinco anos? Que seria, tipo: “uau, meus filhos são incríveis”?


01:11

Chris: Minha filha começou a aprender a cantar e, por eu ter uma veia musical, fico muito animado com isso. Acho que talvez seja mais fofo ainda agora, porque ela ainda não sabe realmente cantar. De certa forma eu gostaria que ela ficasse assim pra sempre, mas estou ansioso para poder tocar violão e cantar uma música com ela. Acho que vai ser incrível.


01:36

Edu: Ah, cara, que maravilha, seria muito legal. Na verdade, sabia que estatisticamente sua filha tem mais chances de se tornar uma cantora famosa do que ter um canal famoso no Youtube? Há mais canais do Youtube que músicos por aí, então há chances de ela se tornar a próxima Lady Gaga. Quem sabe?


01:52

Chris: Bom, sabe? Está parecendo que estou ao vivo no Twitch com esse chat, então…


01:56

Edu: É mesmo. E você, Nati?


02:02

Nati: A Rose, minha filha, está com 18 meses agora, então meu desejo é um pouco mais prático. Gostaria que ela pudesse passear com o cachorro, o Husky. Faz tanto frio a noite, e ela precisa fazer alguma coisa, sabe? Precisa tomar a frente disso, só estou esperando ela estar preparada.


02:24

Chris: Sim, tenho dois cachorros que não passeiam mais como antes.


02:31

Edu: Eu ainda estou na fase do cachorro, então o levo para passear eu mesmo. Ótimo. Meu Deus, vocês estão nos acompanhando de todos os lugares, isso é incrível. Tipo, há gente do mundo todo. Temos gente da Índia, Canadá, Estados Unidos, vários países da Europa. Inclusive, também estou na Europa. Gente de Israel, uau. Vocês são incríveis.


Batemos os 1.000, incrível. Meu Deus, somos 1.100 pessoas aqui. Isso é mais incrível ainda. Agradeço pela presença de todos. Vamos começar, pois sei que estão aqui para saber sobre SEO técnico, não sobre filhos e cachorros.


Em um segundo vou compartilhar minha tela e vamos começar. Então, vou apresentar esses dois caras incríveis aqui, Nati e Chris. Eles são especialistas em SEO técnico e vão abordar esse assunto de forma leve, pois queremos garantir que vocês se sintam à vontade para fazer perguntas. Temos esse chat incrível, no qual já temos várias perguntas surgindo. Se quiserem perguntar qualquer coisa, usem o ícone de perguntas e respostas. Há uma caixa de perguntas e respostas, clique nela e escreva sua pergunta. Temos uma equipe grande nos bastidores para respondê-la e, além disso, também vou mostrar algumas dessas perguntas para os rapazes. Sem mais delongas, vou passar a palavra para vocês, podem começar.


04:04

Chris: Legal, muito obrigado. Se pudermos passar para o primeiro slide, Edu. Certo, ótimo. Então, basicamente a apresentação de hoje é direcionada a ajudar os proprietários de sites Wix a entender melhor o SEO técnico.


Vamos abordar o que é SEO técnico, seus pontos básicos, seus fundamentos e os problemas frequentes. Então, no meu trabalho no Deepcrawl, onde sou membro da equipe de serviços profissionais, passo bastante tempo testando e analisando sites de grandes empresas e de algumas pequenas também.


Vamos discutir problemas comuns que ocorrem em sites como esses e, então, as melhores práticas e dicas para manter seu site saudável. Obviamente, o Nati está aqui como um especialista do Wix, assim como estou aqui para apresentar e trazer um pouco da nossa experiência no Deepcrawl. Acho que podemos prosseguir, né?


Edu: Sim.


Chris: Nati, que continuar?


05:26

Nati: Sim, claro. Vamos falar sobre qual é realmente a definição de SEO técnico, sem entrarmos em muitos detalhes. Quero tratar o SEO técnico como se fosse uma disciplina. Não se sintam mal se não entenderem tudo de uma vez, porque é mais um modo de pensar e um modo de olhar as coisas do que algo para decorar.


O aspecto principal da essência do SEO técnico é saber lidar com os motores de busca. Sabe, os motores de busca, os bots, os rastreadores etc são basicamente softwares, e o SEO técnico visa tornar um site otimizado para eles, se preocupando em satisfazer as necessidades deles para que seu site se classifique no Google. Em outras palavras, e na maioria dos casos, SEO técnico é sobre conseguir chegar lá, ajudando seu conteúdo a se classificar se for bom o suficiente, satisfazendo as intenções de busca e não tendo seu progresso atrapalhado ou impedido por certos problemas. É como eu o vejo.


06:53

Chris: Sim. Eu sempre penso assim: o SEO técnico visa facilitar um pouco a vida do Google na recuperação de informações, pois o trabalho dele se divide em recuperar essas informações extraídas dos sites, compreender que informações são essas e, então, escolher as melhores. O foco, portanto, é garantir que o Google e os usuários consigam as informações que desejam em seu site.


Acho que podemos falar brevemente sobre como o Google rastreia os sites. Bom, esse rastreamento ocorre quando o Google visita seu site, tenta encontrar o máximo de links que puder para compreendê-lo e saber o que contém nele.


Hoje em dia, ele faz isso de forma bastante similar aos usuários, usando uma versão especializada do Chrome, o Chromium, que é projetada para ser automatizada mais facilmente. O Nati deve se lembrar que antes o Google apenas solicitava conteúdo, tentava ler qualquer que fosse o código retornado e compreender sobre o que era a página a partir disso.


Hoje o Google ainda faz isso, mas também faz uma representação visual de sua página e, a partir disso, tenta compreendê-la. Então isso meio que acabou com as tentativas de enganá-lo, escondendo coisas ou fazendo ele compreender falsamente que havia coisas ali. Portanto, hoje você precisa pensar nele mais como uma pessoa real.


08:36

Nati: Exatamente, que bom que você mencionou isso. Os motores de busca e seus bots cuidam da recuperação de informações. Então, vamos falar sobre essas informações. Certo, o que é importante para esses bots?


Para simplificar, o Google ou o bot toma conhecimento de uma URL qualquer na web e depois buscá ela, certo? Fazendo, assim, uma solicitação para essa página ou URL. Com isso, o servidor retorna uma resposta que contenha os cabeçalhos e HTMLs que são interessantes para o Google, que, basicamente, extrai o que considera mais importante.


Uma dessas coisas, claro, são os códigos de status como os 200, 301, 404 e 500. Sempre que mencionarmos isso, lembre-se que essa é a primeira coisa que eles veem quando um cliente, software ou mesmo seu navegador busca uma URL. É possível rastrear essa página? Se estiver tudo certo, eles continuam. Sempre que o bot busca essa URL, obtém uma resposta e o HTML. Se estiver tudo certo, a resposta é o bit importante, pois o Google extrai duas coisas disso.


A primeira é o conteúdo, ou o conteúdo principal. Ele pode ser um post longo, um post de blog ou um artigo. Também podem ser imagens, vídeos etc, pois quase tudo que o usuário vê é conteúdo. Quase tudo, certo? Com exceção de UI e as diferentes funcionalidades de um site.


E, em segundo lugar, o Google extrai todos os links de uma página. E por que ele faz isso? Porque é assim que o Google e outros bots tomam conhecimento sobre as outras páginas do site, pois sempre que eu busco uma página, tenho todo seu HTML, o qual contém os links que vão ser adicionados à fila de rastreamento.


Assim que eu consigo eles, posso buscá-los. O mais importante aqui, e o principal do SEO técnico e da otimização para rastreamento, é garantir que o Google possa acessar todas as páginas, as URLs, do seu site. Certo?


E, então, qual é o próximo passo, Chris? Se eu tiver me assegurado que, por exemplo, o Google descubra todas as URLs do meu site. Aliás, antes disso, ao que você acha que eu deveria me atentar que poderia prejudicar essa finalidade, esse objetivo, e impedir que o Google compreenda o que há no site?


11:28

Chris: Vamos passar ao próximo slide que mostra alguns dos principais problemas. A primeiríssima coisa que devemos nos atentar, e esse é o ponto principal de vários slides e que às vezes sites empresariais negligenciam, resultando em detalhes bem incomuns e problemas estranhos, é que sempre devemos nos assegurar que o conteúdo esteja de fato disponível aos rastreadores e que seja o mais único possível.


Então, um dos primeiros problemas que vemos em alguns sites, principalmente em sites de venda e afins, é a ocorrência de conteúdo duplicado. Tenha em mente que, quando se fala em SEO técnico, a URL e a resposta advinda da solicitação da URL que o Google recebe são coisas bem separadas e não necessariamente relacionadas. Então, se o Google busca quatro URLs diferentes e sempre obtém conteúdos iguais ou similares, vai haver problemas na compreensão de qual URL deveria ser exibida nos resultados de busca.


Portanto, se houver duas ou três páginas para o mesmo produto ou destino, o Google vai ficar confuso por não compreender qual delas é a verdadeira. E aqui entram as tags canônicas. Ao meu ver, Nati, essas tags canônicas são essencialmente, assim como é uma configuração no Wix, uma forma efetiva de dizer ao Google e a outros motores de busca que a URL contida dentro dessa tag é a versão canônica, original e progenitora. E isso funciona entre sites também. Por exemplo, digamos que você tivesse um blog grande e permitisse que outros blogs reproduzissem seu conteúdo. Nesse caso, eles poderiam referenciar seu site dentro da tag canônica e, assim, você receberia os créditos do Google. Nati, você mencionou um exemplo legal de conteúdo duplicado enquanto estávamos nos preparando, estou tentando me lembrar como era.


13:52

Nati: Basicamente qualquer coisa que tenha a ver com qualquer parâmetro da URL, até mesmo parâmetros de UTM ou classificação. Ou seja, tudo que modifica e adiciona os caracteres e modifica a URL, mas que entrega o mesmo conteúdo. Em resumo, uma duplicação. Tenho uma pergunta. Além de o Google não ter certeza sobre o que exibir nos resultados de busca, por qual outro motivo isso é um problema? Isso é um grande problema? Pode se tornar mais do que um problema para alguns sites? O que você acha?


14:29

Chris: Penso que para muitos sites o conteúdo duplicado seja um problema pequeno, e atualmente é cada vez menor, porque o Google é muito bom. O que víamos antes, e é daí que surgiram as tags canônicas, é que as pessoas costumavam roubar conteúdo, sabe? As pessoas pegavam conteúdos de sites bem classificados porque pensavam que se um site se classifica tão bem para tal palavra-chave, deve ser por causa do conteúdo. Então, eles roubavam o conteúdo e o colocavam em suas páginas.


Essas tags canônicas ajudam nesses problemas. Como eu disse, acho que hoje em dia, a menos que você tenha milhões de páginas… Ou como o exemplo do Nati dizia, digamos que na navegação facetada do seu site há uma página de vestidos vermelhos e outra de vestidos vermelhos a menos de £50 libras, mas todos os seus vestidos vermelhos custam menos de £50 libras. Isso faz você entregar exatamente o mesmo conteúdo em duas URLs diferentes e, novamente, confundir o Google. Portanto, a tag canônica orienta o Google sobre onde ir.


Agora é com você de novo, Nati. Sobre conteúdo duplicado… Para mim é simples, temos uma função no Deepcrawl que me ajuda a encontrar conteúdo duplicado, mas há uma forma fácil de obter essa informação se você não estiver usando um rastreador de uma grande empresa?


16:08

Nati: Há muitas soluções possíveis. Primeiro, a maioria dos rastreadores fazem o trabalho certinho, atendem ao que especificamos, buscam o HTML, extraem e rastreiam todos os links e, então, conseguem mostrar os problemas de duplicação.


Uma ótima ferramenta é o Google Search Console, que o alerta em alguns casos, mas outra forma excelente é usar seu teclado mesmo. Copiar uma parte do texto e buscá-lo entre aspas. Assim, você vai descobrir se seu conteúdo está duplicado em outros sites ou se está duplicado, mas há outras URLs omitidas nos resultados da busca. A busca do Google é uma solução. Você ainda pode usar ferramentas externas ou o aplicativo, além do próprio Google Search Console, que sempre deve ser usado, porque acho que é o melhor amigo do SEO.


Eu notei que a versão canônica não conta visitas diretas, certo? Quando digo qual é a versão canônica, estou basicamente dando ao Google outra dica, certo? Não posso decidir isso, porque o Google leva em consideração outros sinais, como outras páginas com os links apontando para a URL e esse tipo de coisa, então o que você recomendaria sobre como decidir a URL canônica ou original? Há algo que possa ser feito em SEO técnico com relação ao site? Como a edição de links internos, por exemplo?


17:54

Chris: Eu ia dizer que o principal são os links internos, sabe? Se você tem duas páginas sobre férias na Espanha e uma delas possui links para sua navegação principal e para mais 10 posts de blog, mas você configura a outra como a tag canônica, provavelmente o Google vai desconfiar que essa não seja a versão original do conteúdo, pois a primeira possui links com todo o site e parece ser a versão canônica.


E nesse ponto, às vezes podemos ter problemas curiosos, porque as pessoas produzem ótimos conteúdos, mas canonizam a URL errada. Isso faz com que o Google acabe usando a URL que não possui bons links, considere a página como ruim e a classifique mal. Acabei de ver no chat que alguém perguntou como configurar uma tag canônica e acho que essa é para você, Nati. Acho que todos daqui são usuários Wix.


18:54

Nati: Isso depende muito do sistema de gerenciamento de conteúdo (CMS), claro. No Wix, todas as URL são canonizadas por padrão, então não ocorrem duplicações, mas se quiser editar isso por conta própria por algum motivo, você pode usar o painel SEO para modificar a tag canônica ou padrão, ou substituí-la.


Mas em geral você não vai ter problemas de duplicação, a não ser que você mesmo faça isso copiando um artigo. Ou talvez você, por exemplo, tenha um blog com alguns posts, use todas as categorias que tiver e coloque tags em todos os posts. Nesse caso, a responsabilidade é sua e não nossa, pois basicamente você vai criar muitas páginas de tag ou páginas de categorias com o mesmo conteúdo, os mesmos posts. Portanto, vai ser por erro do usuário, e é possível modificar as configurações. Acredito que a maioria dos CMSs existentes, com enfoque em SEO, canonizam suas URLs, além de permitir editá-las. Se não fizerem isso, deveriam.


20:12

Chris: Legal, vamos continuar. Nosso próximo slide é sobre erros 404 e links quebrados. Então, Nati. Primeiro, por que veríamos um erro 404? Quando acontece a quebra de links? Como e por que isso é um problema?


20:33

Nati: Certo, há também algumas formas de detectar erros 404. Uma delas é usar o aplicativo do Deepcrawl, que oferece um kit completo de ferramentas, ou ainda outros rastreadores que leem os links encontrados e, se algo estiver quebrado, nos alertam.


Claro, sempre é bom usar o Google Search Console. Surpreendentemente, cito também o Google Analytics. Se você já tiver configurado ele, é possível filtrar as páginas pelo título 404 e ver todas as URLs que o acionaram. Inclusive, isso se aplica a todos os CMSs. É um truque bem legal. Se você tiver o Google Analytics, pode usá-lo para detectar os 404.


Então, erros 404 são causados por dois motivos principais. O primeiro, claro, é erro do usuário. Quando você cria uma página, inclui link para outra do seu site e não faz isso corretamente ou, ainda, depois de um tempo, muda a URL deste site.


E as causas externas acontecem quando alguém incluiu links. Eu tenho um backlink para meu site, porém ele quebrou porque não estava correto, ou porque eu mudei a estrutura do HTML ou slug e não avisei.


Portanto, há causas internas e externas. Quero enfatizar que nem todo erro 404 é um grande problema e merece sua atenção imediata, uma vez que quanto maior o site, como os sites de eCommerce, maior a tendência de acumulá-los com o tempo. Certo, Chris? Às vezes não é culpa sua.


Imagine que sou um site, certo? Eu tenho o Google Search Console, fiz o rastreamento com uma ferramenta externa terceirizada e encontrei vários erros 404, mas não tenho todo o tempo do mundo, pois no SEO a gente se desdobra em mil, certo? Então o que você faria para priorizar esses erros 404? E será que eles são algo com que um profissional de SEO deve aprender a conviver?


22:56

Chris: Então, eu diria que você deve se preocupar com um erro 404, uma página retornando um erro 404 ou um link quebrado quando, de fato, há o potencial de uma das suas maiores páginas, que mais entrega tráfego ou conversão, quebrar de alguma forma.


Vou dizer mais uma vez, isso pode acontecer por alguém ter modificado uma URL por algum motivo, ou porque os links para essa URL de repente quebraram. Obviamente, eu diria sempre que os links internos de seu site devem sempre retornar um status 200, quer eles passem por um redirecionamento ou não. Acho que vamos falar um pouco sobre redirecionamento. Como usuário, se estou navegando em um site ou algo assim e encontro uma página quebrada quando clico em seu link, é um pesadelo e uma péssima experiência, pois não chego a lugar nenhum. Porém, mais importante ainda, esse site não se classifica para o que quer que esteja nessa página, certo?


Normalmente, o que acontece é que priorizamos, essencialmente, os erros 404 que ocorrem com frequência. E, novamente, os erros 404 são extremamente fáceis de se lidar. Se você tiver um navegação de cabeçalho de 200 páginas no seu site e fizer uma alteraçãozinha no seu cabeçalho atual, você vai quebrar 200 links de uma vez, portanto sempre nos atentamos a essas coisas. Além disso, trabalho frequentemente com sites com milhões de URLs que podem gerar milhões de erros 404 e, para deletá-los, basta abrir o CMS e apertar Delete, adicionar o S no final ou o que quer que seja. Então, eu recomendaria começar por aí. Garantir que seu cabeçalho de navegação e afins funcionem perfeitamente e, em seguida, suas peças de conteúdo etc.


Como lidar com esses problemas? Como eu disse, normalmente temos algumas opções. A melhor maneira de consertar um problema é consertar o link, certo? Se for um link interno. Porém, às vezes o maior problema é que você pode ter um backlink ótimo de alguma imprensa nacional ou internacional, mas descobre que estão usando o link errado, apesar de você ter enviado o correto, e agora não respondem os emails etc. O que fazer nesse caso Obviamente você pode acessar seu CMS, no Wix ou outra plataforma, e modificar o link. Assim o seu link vai passar a ir para a URL correta. A outra opção é redirecioná-lo. Certo, Nati? E acho que vou passar o bastão para você, porque você sabe melhor como consertar ou estabelecer um redirecionamento no Wix.


26:23

Nati: Sim. Então, dissemos que você deve consertar o link que quer redirecionar, certo? Você deseja redirecionar as URLs que tiveram sinais anteriores, uma vez que havia conteúdos, algo tangível e real, por trás delas, e não apenas um 404 sistemático. Portanto, você deve dar prioridade a elas. Em vários lugares do Wix, e estamos estendendo isto com o tempo, sempre que você muda o slug de URL, por exemplo, ou a estrutura do HTML na qual trabalhamos, um redirecionamento 301 é automaticamente adicionado com a intenção de consertar esses links para você. Porém, em vários casos, é necessário editar automaticamente e você pode desabilitá-lo quando quiser.


Se quiser adicionar manualmente os redirecionamentos 301, vá em Gerenciador de Redirecionamento, em Recursos SEO, e você vai encontrar várias opções lá, onde é possível escolher fazer uma por uma, por grupos ou fazer upload do arquivo CSV. Assim, o Google vai passar os sinais e basicamente tudo que saiba a respeito da sua antiga URL para a nova.


Há uma grande ressalva aqui, pois não é possível redirecionar para qualquer lugar que queira. Você deve sempre redirecionar para o mesmo conteúdo ou correspondente. Somente redirecionar um erro 404 para sua página inicial, para outra URL ou outra página que seja importante para você não vai ajudar muito. Portanto, sempre redirecione para a melhor correspondência ou a mais próxima possível em termos de conteúdo, não em termos de estrutura da URL, pois não importa qual é a URL, mas o conteúdo dela. Então, certifique-se de redirecionar para a URL certa, a URL que seja canônica e que retorne o código 200. Isso mesmo, aquele que mencionamos antes.


Chris: Sim.


28:47

Edu: Então, eu tenho uma pergunta que pode parecer boba, mas estou tendo muitos insights aqui, o que é ótimo. Tenho duas perguntas. A primeira é: Como eu edito de fato a URL?


E a segunda, relacionada a isso e a partir do que você mencionou sobre erros do usuário ao esquecer de digitar um “s” e quebrar a coisa toda: Há um jeito fácil de analisar o problema e encontrar a fonte do erro 404?


29:12

Chris: Eu posso responder a segunda questão relacionada a encontrar a fonte. Mais uma vez, qualquer rastreador web indica a ocorrência de erros 404 e o Google Search Console contém uma lista dos 404 existentes. Obviamente, essa é uma ótima ferramenta. Além disso, um pouco de UX manual e testagem do seu site vão ajudá-lo a encontrar tudo. E, novamente, antes de colocar uma navegação nova no ar, certifique-se que tudo está funcionando corretamente.


Esta é sempre minha recomendação. Quando colocar conteúdo no ar, certifique-se que todos seus links funcionam. Cheque você mesmo, pode usar o Google Search Console ou qualquer rastreador web. Essas são minhas duas primeiras opções. Nati, vou deixar a questão de consertar ou editar o link para você responder, pois parece relacionada ao Wix.


30:24

Nati: Então, no Wix há alguns lugares em que você pode fazer isso, como o painel SEO, onde você edita o slug para o tipo de página que você está trabalhando. Na maioria dos casos, e você pode fazer isso em grande escala, é nas Configurações de SEO do Wix. Você pode mudar de fato toda a estrutura dos seus posts de blog ou páginas de produto, e estamos estendendo isso para outros tipos de páginas.


Então você pode aplicar em tudo. Por exemplo, se você quiser, pode fazer com que todos os seus posts de blog comecem com "banana" ou terminem com "alguém leve meu Husky para passear, por favor”, assim como você pode editar um slug ou página específica como post de blog ou página de produto etc.


31:14

Chris: Sim. Em seguida, vamos passar para algo que, talvez, os usuário padrão vão se identificar mais. Como mencionamos antes, o Google é um robô que busca o código que constrói seu site e, hoje em dia, também renderiza a página. Portanto, é ele que vai gerar e analisar a imagem "acima da dobra", ou seja, tudo o que é visível quando seu site é carregado pela primeira vez e o que aparece em seu desktop. Ou seja, essa tela retangular para a qual olhamos. A palavra “dobra” é um termo do jornalismo. Isso mesmo. É onde o jornal costumava dobrar fisicamente. A informação importante ficava acima dela, certo? Sei lá por qual motivo, mas pegamos esse termo e o trouxemos para o SEO.


Então, o Google olha para a janela de visualização inicial, o conteúdo do topo da página… E hoje em dia é fascinante, porque ele também checa o tamanho dos textos em uma página, como seus títulos, suas tags de cabeçalho (H1, H2, H3 etc), os textos grandes e em negrito que ocupam a maior parte dessa janela e são considerados mais importantes para a página.


Como dissemos, antigamente as pessoas costumavam deixar seus títulos bem pequenos e escondê-los no conteúdo, o que considero ser péssimo para acessibilidade e para os robôs também. Acabei de ver alguém perguntando se o texto precisa ser texto escrito ou se é possível ler uma imagem. Sempre opte pelo texto escrito, pois o Google consegue ler imagens, mas para ter certeza de que o conteúdo seja lido, recomendo sempre fazer um texto, está bem?


Antigamente, as pessoas conseguiam esconder coisas, deixando os H2 pequenos e coisas assim, porém hoje em dia isso não é mais possível. Precisamos que as páginas sejam legíveis e acessíveis aos humanos, mas também aos bots, certo? Nati, hoje em dia, devemos pensar no Google como a maioria dos humanos que usam um site.


34:05

Nati: Sim, definitivamente. Antes de nos aprofundarmos nisso, acho que precisamos estabelecer algumas coisas, como noções básicas do funcionamento do Google e como vamos nos comportar. Para quem viu, discutimos que o Google busca o HTML, certo?


E o Chris mencionou que o Google roda JavaScript e renderiza a página. Isso consiste basicamente em usar todos os blocos de construção, HTML, CSS e JavaScript, como se fossem peças de Lego e instruções, para construir essa página.


Certo. Antes apenas nos preocupávamos com o HTML que o Google via. Entretanto, agora o SEO técnico deve se preocupar com o que o Google realmente vê. Não somente o HTML, mas como ele é construído e organizado. O Google tenta descobrir qual é a peça de conteúdo mais importante da página. E quando entendemos que quando o Google olha para um site… Na verdade, primeiro vocês devem aprender como os bot se comportam e, em seguida, eu continuo com como o Google vê uma página.


Vocês devem estar atentos para algumas coisas. Primeiro, o Google é mobile-first, certo? E o que isso quer dizer? Isso significa que, em teoria, a versão mobile é a primeira que o Google rastreia. Por quê? Porque a maioria das buscas e interações na web são feitas através de mobiles. Sempre que olhamos para uma página devemos, na maioria das vezes, olhá-la e pensar nela levando em consideração as melhores práticas do mobile-first. Como ela seria quando vista no celular? E é aqui que as dobras normalmente entram. Essa é a primeira forma dela, e como não há muito espaço nos dispositivos móveis, você precisa da dobra. Não estou dizendo que o Google vê a dobra, certo? Pois quando o Google busca uma página na web e a renderiza, na verdade ele a abre em uma janela de visualização muito grande ou alta. Ele não rola a página e nem clica em nada. Portanto, o bot do Google não interage com nada, apenas abre essa janela e considera o que quer que esteja nesse espaço, na dobra, podendo até ganhar um valor maior por estar lá.


Então, sempre que estiver pensando em SEO técnico ou em um site, pense como um dispositivo móvel. Melhor ainda, utilize uma ferramenta do Google, como o site Teste de compatibilidade com dispositivos móveis ou Teste de pesquisa aprimorada, ou busque utilizando a ferramenta de inspeção de URL no Google Search Console para inspecionar o que tiver na dobra. Você deve se atentar se há algo atrapalhando seu conteúdo principal ou o título principal de uma página, porque o que você sinaliza para o Google e para os usuários pode ser “olha, essa imagem bonita é o que importa”, mas sempre que o usuário e o bot chegam a uma página, a primeira coisa que devem saber é sobre o que ela trata, qual o produto apresentado ou conteúdo servido. Então, sempre que pensar em layout, pense sobre como seria disposto em um mobile. Acredito que esse é o melhor conselho que posso dar sobre isso.


38:00

Chris: E vou continuar a partir do que o Nati disse e que é algo que vemos que as pessoas não fazem muito. Todos temos nossos hábitos, certo? Trabalhamos através dos nossos computadores normalmente conectados à internet por roteadores ou conexão wi-fi de casa, o que é ótimo. Construímos nossos sites e achamos que ficaram ótimos, mas não verificamos como são exibidos através dos nossos telefones, sabe?


Tipo, meu telefone é um Android mediano de cerca de £200 libras e se seu site tiver problemas para ser exibido nele enquanto espero um ônibus, então não vou usá-lo, entende? Ainda mais se seu site for sobre horários de ônibus e não funcionar nele enquanto espero por um. Eu não vou usá-lo.

É importante saber quem são seus usuários. Como mencionamos mais cedo, use o Google Analytics para descobrir quais navegadores e dispositivos são utilizados e para se assegurar de que seu site atende seus usuários. Nati, podemos prosseguir para algo um pouco mais relacionado a conteúdos e discutir dados estruturados.

Basicamente, os dados estruturados potencializam tudo o que há em um resultado de busca no Google que não seja um link velho, certo? Quando se trata de dados estruturados, sempre penso em receitas. Quando procuro por uma, apenas passo os olhos rapidamente… Lembre-se que tenho uma filha de quase dois anos, então me interesso por receitas de 10 minutos no máximo. Portanto, a estrutura de revisão é uma ótima maneira de validar se a receita é realmente incrível. Aqui, por exemplo, 300 pessoas a avaliaram como ótima e a deram cinco estrelas, disseram que só leva 15 minutos e os ingredientes são claros. Tudo isso é baseado em dados estruturados, portanto, a estruturação de dados consiste basicamente na organização do conteúdo.

Desta forma, uma vez que o Google faz seu melhor para compreender o conteúdo que há em uma página, os dados estruturados se assemelham a um modo de usar, tipo um formulário do um site. O Google pergunta: “quais são os ingredientes?” Então, fornece uma caixa para que você os escreva e então agradece. Depois pergunta: “com o que se parece?”. Você coloca a imagem e o Google agradece. Ele pensa: “temos a imagem, entendi.” E, então, pergunta: “quais são as notas?” Você diz: “bom, essa pessoa deu quatro de cinco e esta outra quatro e meio de cinco”. E o Google diz: “ótimo.” Agora que temos essas informações, podemos construir o que chamamos de “rich snippets”, que consistem em trechos chamativos que podem, sempre que possível, atrair pessoas. Então, olhando agora para as opções de receitas ali, sem hesitar, escolho a da direita, porque parecem ser os melhores biscoitos com gotas de chocolate, e então clico nela. Quais outros exemplos, Nati? Eu ia perguntar quais seus dados estruturados favoritos, mas sei que nem todo mundo é estranho como eu.


41:37

Nati: Acho que não tenho um favorito, mas acho importante dizer que os dados estruturados não são apenas mais uma parte do seu conteúdo, sabe? Os dados estruturados servem para a estruturação do seu conteúdo e torná-los mais adequados para máquinas, certo? E por que fazemos isso? Qual nosso objetivo?

Primeiro, porque nos oferecem resultados aprimorados e, além disso, ajudam os motores de busca e softwares a compreender melhor o que há na página, uma vez que ela está melhor estruturada. Eles mostram o preço, a imagem e a SKU do produto, então todos os dados são organizados estruturalmente para um robô. De fato, eu considero todos os dados estruturados ótimos, pois ajudam outras máquinas a compreender o que há no meu site.

Entretanto, acho que muitas pessoas são atraídas ou sugadas pelo jogo dos dados estruturados, o jogo dos dados, e tentam aplicá-lo ao site inteiro, certo? Isso é um pouco estranho, pois é como se na sua cozinha houvesse uma etiqueta em tudo, dizendo: “isso é um garfo”, “isso é uma colher”, “isso é uma faca” etc.

O Google sabe que isso é uma faca e que aquilo é uma colher.

Com isso, quero dizer que a marcação de dados estruturados é ótima, mas aconselho todos a se apegarem aos que produzem resultados aprimorados no Google. Você não precisa decorar o que produz e o que não produz esses resultados. Para isso, vá ao Google e busque por “Galeria de pesquisa“. Sempre que fizer isso, a URL vai ser retornada e você vai ver o catálogo de todos os resultados aprimorados diferentes que o Google oferece. Portanto, claro, para produtos, eventos e receitas, com certeza você vai conseguir resultados aprimorados e organizados. Tenho meu próprio site de receitas e os resultados aprimorados têm sido ótimos, porque eles proporcionam o aumento das métricas, melhoram o desempenho nos resultados de busca, destacam o seu site e tornam seu site mais útil ao usuário.


Então, eu focaria em tudo que possa trazer resultados ricos. Entretanto, no Wix, eu não faria isso, pois muitos já são gerados automaticamente. Não aconselharia que os usuários Wix exagerem. Você pode encontrar isso no nosso painel SEO, em Configurações de SEO, e configurar para um tipo de página. Apenas gostaria de ressaltar que os dados estruturados, esses resultados aprimorados, são aplicáveis somente quando você se classifica bem no Google.

Ou seja, nem se preocupe com isso se seu site está na segunda ou terceira página, pois vai ser perda de tempo. Isso nos leva ao meu próximo ponto sobre uma abordagem similar para o SEO técnico e para a saúde de seu site. Você sempre deve detectar e priorizar a resolução de problemas quando usar um software ou o Google Search Console, certo?


45:08

Chris: Sim, isso mesmo. Vamos para o próximo slide. Ah, perdão, abri o slide errado. Vamos falar de priorização já já, Nati, mas acho que sua fala nos leva à testagem de sites, que já discutimos anteriormente.

45:31

Chris: Então, falamos sobre todos esses problemas.


45:38

Chris: Mas como você pode encontrá-los? E como pode consertá-los? Claro, mencionamos o Google Search Console algumas vezes que é uma ótima fonte de informações de todos os tipos de problemas, mesmo que você tenha um site pequeno com apenas uma pessoa no comando, ou seja, um dos maiores sites da Terra. Eu quase sempre uso ele com todos os nossos clientes.

Portanto, o Google Search Console é uma ótima ferramenta, assim como as ferramentas de teste terceirizadas. Claro, sou um grande fã do Deepcrawl e já era antes de trabalhar com eles, mas essas outras ferramentas por aí, como o Screaming Frog que detecta muito bem problemas e opera de forma semelhante ao bot do Google, vão no seu site procurar o máximo de páginas possível e fornecem relatórios sobre os problemas encontrados.

Uma vez feito isso, inclusive falávamos sobre priorização mais cedo, você vai precisar priorizá-los. Já voltamos nisso. O mais importante a se fazer é programar esses testes e fazê-los com regularidade. Não é necessário ter uma frequência absurda, como todo dia, duas vezes por semana ou algo assim, mas talvez uma vez por semana ou por mês seja uma cadência adequada.

Portanto, fazemos esse teste mensal ou bimestralmente com clientes maiores, e com os menores fazemos toda semana o que chamamos de rastreamento tático e testes. E, então, o último ponto, que é relacionado ao que Nati falava, é não perder tempo com mitos de SEO ou com papos furados que não nos levam a lugar nenhum, está bem?

É muito fácil ficar preso a coisas pequenas ou incomuns que não têm muita importância e ignorar uma página que não está mais sendo indexada, uma série de links quebrados ou algo assim. Então, sempre vale a pena focar nessas coisas e tentar evitar boatos no Twitter etc sobre um fator novo definitivo e grande de classificação. Ao longo dos anos, eu e o Nati já vimos muitos deles que não se mostraram efetivos. Porém alguém fez um estudo, certo? Um estudo bem falho dizendo que se sua página for verde, vai se classificar melhor. É muito fácil cair nesses papos furados. Há algo mais? Estou preocupado com o tempo. Vamos direto para como priorizar?


49:02

Nati: Acho que podemos prosseguir. Eu vi que vocês estão dizendo que não conhecem muito bem as ferramentas para fazer conexões sobre o que estamos falando. Peço que entendam que não temos tempo suficiente para mostrá-las, mas temos um webinar anterior que explica o básico de várias delas.

E, quando possível, vamos compartilhar links para artigos que explicam como usar as ferramentas relevantes do Wix. Não se preocupem, pois vou cuidar disso. Agora, você precisa criar uma maneira de pensar ou de olhar para um site com os olhos de um não humano, um robô de software, e essa é a mensagem principal que quero passar aqui.

Então, depois de entrar em todos os links para entender como fazer todas essas coisas e obter outras explicações, você pode passar para a priorização.

Entretanto, antes da priorização no Deepcrawl ou outra ferramenta… Você mencionou um teste de site que consiste em uma inspeção, certo? Tipo uma auto inspeção. Como se você trouxesse seu carro e eles apontassem tudo que há de errado, né? Então, o SEO técnico consiste em encontrar o que há de errado e o que você esperava que estivesse lá, mas não está. Portanto, antes da priorização, como podemos programar esses testes? Se eu decidi usar um software, conectei o Google Search Console, o Deepcrawl, o Screaming Frog ou qualquer que seja a ferramenta, devo testar todo dia ou toda semana? Quanto tempo as pessoas ou usuários estão dispostos a investir em SEO técnico?


51:18

Chris: Costumo dizer que pode variar muito em relação ao tamanho do site e da quantidade de conteúdo que você divulga. Acredito que, para a maioria dos sites, um teste mensal de verificação de saúde é mais do que suficiente. E, novamente, o Deepcrawl possui rastreamento automático de site e vai, juntamente com o Wix, rastrear seu site semanalmente.

A maioria das ferramentas, dentre elas o Screaming Frog, permite o agendamento. Lembre-se que seu computador com o Screaming Frog precisa estar ligado durante a operação. Eu recomendaria fazer isso na segunda-feira de manhã, enquanto seu computador estiver ligado, ou deixá-lo ligado por algumas horas na sexta-feira à noite, algo assim, a fim de obter os dados. Mas eu diria que, para a maioria dos sites, um teste mensal ou semanal é uma ótima maneira de assegurar que o problema seja detectado o mais rápido possível.


52:28

Nati: Exatamente. Eventualmente, algo dá errado, certo?


52:31

Chris: Isso mesmo. Exatamente. Sim, e às vezes dá errado e você não sabe o porquê. Então…


52:38

Nati: Certo, vamos falar um pouco sobre priorização. Acho que esse é o aspecto mais importante ao aplicar o SEO, não apenas o SEO técnico. Então, me diga, no que focar? Há muitos problemas, vou ao Google Search Console, vejo muitos erros e diferentes tipos de status, e o Google ou o Deepcrawl está demandando muitas coisas para mim. Não entendo metade delas. No que eu deveria focar primeiro? No que devo investir meu pouco tempo?


53:16

Chris: Sim. O principal é sempre o conteúdo, então foque em qualquer problema que impeça a indexação do seu conteúdo ou qualquer situação onde haja uma página que o Google não é capaz de ver, está bem? Esse é o problema número um. Eu prefiro que o Google veja uma página com problemas do que não veja uma página perfeita, sabe?

A partir disso, os links internos são a primeira coisa que você deve ter em mente. Se você tem links para páginas grandes que estão quebradas, você deve priorizá-las. Depois disso…


53:54

Nati: Desculpe te interromper, mas o que isso significa? Essa página é indexada ou não?


54:00

Chris: Sem problemas. Então, uma página que não é indexável basicamente não pode ser colocada no índice pelo Google. Você pode escolher isso por meio de tags na página, mas acredito que a maioria dos sites eCommerce e afins deseja ter suas páginas indexadas. Sobre isso, existem estratégias de indexação ou não indexação. Esse é um tópico maior que poderíamos discutir em outro momento. Em resumo, uma página que não pode ser encontrada ou colocada no índice pelo Google é uma página considerada não indexável e, enquanto for considerada dessa forma, deve ter os links removidos ou coisas assim.


54:48

Nati: Então, assim como muita coisa em SEO, depende, e essa é a grande lição aqui, pessoal. Tudo depende em SEO. Se eu não souber nada sobre indexação, mas quiser identificar os problemas, quais são as coisas que normalmente fazem o Google não indexar algo, se eu não o configurei para isso?

Pense em uma biblioteca em que cada site é um livro e cada página do site é uma página do livro. Eu não disse ao Google para ignorar um capítulo e não o indexar, mas ainda assim o Google o faz, certo? Se eu vejo que alguns dos meus posts não estão sendo indexados e o Google Search Console me diz que eles não estão em minha biblioteca, o que devo procurar, mesmo que eu não seja uma pessoa que entende de SEO técnico?


55:54

Chris: Eu diria, novamente, como você mencionou antes, para usar o teclado. Faça uma busca no Google pelo seu próprio site, as coisas para as quais você quer se classificar e veja se você está lá, pois esse é sempre o maior indicador. E também, novamente, se você não é uma pessoa que entende de SEO técnico e não quer ficar procurando por tags, acredito que podem haver alternâncias e coisas assim dentro do Wix que impeçam a indexação de páginas.

Bom, seria por onde eu começaria. Isso se, claro, você estiver configurando um site seu que tenha acesso ao CMS. Temos poucos minutos restantes, Nati. Então, este slide é sobre como manter seu site saudável.

Bom, falamos sobre automatizar e agendar rastreamentos antes. Temos, claro, aplicativos e rastreadores que fazem isso por aí. O principal para mim é sempre considerar o SEO em todas as modificações que você fizer e ensinar sobre SEO para as pessoas que usam seu site ou que fazem parte do negócio em questão, mesmo que sejam seus colegas ou você esteja em uma situação na qual é um consultor etc. Ao trabalhar com grandes companhias vejo que quanto maior é o negócio, maiores são as chances de erros ocorrerem também. Além disso, em todos os aspectos do SEO, normalmente são as pessoas que cometem os maiores erros, certo?

Alguém pode decidir, por acaso, modificar alguma URL e não consertar os links, ou vários outros motivos. Você pensa: “eu não gosto da tag que está no cabeçalho desta página”, e faz alterações sem levar em conta o fato de que você passou os últimos seis meses construindo links para aquela página e trabalhou muito para que fosse super otimizada etc.

Então, eu diria para sempre tentar ensinar ao máximo as pessoas do seu negócio sobre o que é SEO e porquê é importante pensar nele em toda mudança a ser feita. Além disso, como mencionamos logo no começo, o bom do SEO técnico é que você tem a documentação, sendo a única parte do SEO que o Google de fato diz como fazer corretamente. Além disso, o Google ainda fornece uma ferramenta para que você faça testes, então você deve usá-la. Use-a e atente-se a documentação. Foi por isso que saí do SEO tradicional para o SEO técnico, pois gosto de poder fazer uma coisa, depois apertar um botão e receber um tapinha de alguém no ombro dizendo “isso, você fez tudo certo, parabéns.” Então, eu focaria nisso. E você, Nati? Quais são suas dicas para manter um site saudável e em boa forma?


58:46

Nati: A priorização, claro. Além disso, o rastreamento mensal para a maioria dos sites é ótimo. É importante não apenas testar um site com um programa, um serviço SaaS ou outro tipo de software, mas também acompanhar os números e tipos de erros que ocorrem. Você quer que a saúde do seu site melhore, certo? Portanto, você não quer que os erros aumentem, então foque em diminuí-los.

Uma das coisas que eu monitoraria constantemente é se os erros que ocorreram no mês passado aumentaram, se agravaram ou diminuíram. Se eu notar uma tendência, por exemplo, de aumento de erros 404, talvez haja um problema maior que não cortei pela raiz. Portanto, sempre olhe para essas tendências e as acompanhe a partir das opções que os serviços e ferramentas lhe oferecem.

O aplicativo do Deepcrawl permite o acompanhamento dos problemas com as linhas de tendência. Os relatórios do Google Search Console também oferecem o acompanhamento de várias coisas. De fato, essa consiste na melhor ferramenta do arsenal do SEO técnico, peço perdão ao Deepcrawl. Isso é possível, inclusive, com poucos cliques usando nosso recurso Conectar ao Google do Wix em Recursos de SEO, na seção de Marketing e SEO. Sempre vá lá e descubra o que está impedindo seu site de alcançar o potencial máximo.

Não dá para aprender SEO técnico em uma hora ou mesmo um mês, pois requer experiência, tempo e muitas pesquisas. O importante é sempre fazer verificações, fazer buscas no Google e procurar por ajuda em comunidades que oferecem suporte no Twitter ou grupos do Facebook para resolver os problemas encontrados. Nosso trabalho é fazer com que você não se preocupe com nada disso.

Porém é sempre importante que você verifique isso de vez em quando, assim como você leva seu carro para revisão todo ano para que ele não quebre no meio da estrada. É o mesmo pensamento, pois você não quer que algo bobo atrapalhe seu negócio ou o negócio dos seus clientes. Portanto, é sobre isso que se trata o SEO técnico. O que eu ou alguém fez de errado? Como posso consertar isso? Não é algo que você vai sacar de primeira, lembre-se disso. O primeiro passo é conectar-se ao Google Search Console e esperar alguns dias pela coleta de dados.

A partir disso, mergulhe de cabeça neles e entenda o que o Google está te entregando. Se ele está te devolvendo algo, então deve ser importante. E uma última dica. Eu administro muitas comunidades grandes de SEO e vi que muitas pessoas notaram um aumento de "rastreados, mas não indexados" no Google Search Console. Vocês devem ter visto isso em sites, fóruns, discussões etc. Esse é um ótimo exemplo de quando a culpa não é sua. Lembre-se que até o Google também possui bugs, preferências e limitação de recursos, portanto nem sempre é sua culpa. Porém, quando for, é melhor cuidar disso.


1:02:44

Edu: Ótimo. Nati e Chris, quero agradecer pelo tempo de vocês. Sabe, essa uma hora foi incrível, houve insights muito bons, mais de 250 perguntas no Perguntas e respostas e no chat há uns 200.000 comentários. Então, foi ótimo ver todo esse alvoroço. Todos estavam muito animados com a apresentação de vocês.

Como disseram, não é algo que dá pra aprender do dia para a noite, não é algo fácil de fazer e aprender, é preciso tempo e energia para fazer as coisas.

Sabemos que ter o Deepcrawl e o Wix SEO com todos seus recursos ajuda demais. Então, pessoal, se houver mais perguntas, sintam-se à vontade para fazê-las. Sei que não conseguimos responder todas porque precisaríamos de mais de cinco dias para responder às 250. Se fizerem parte de alguma comunidade, temos a Editor X, Parceiros Wix ou All Things Wix. Entre nela e continuem a fazer perguntas por lá. Se quiser ir ao Twitter, nos marque usando as hashtags TechSEO, WixSEO, SEOWix e Deepcrawl. Faça isso, vá fundo, pergunte por lá. Vou tentar chamar o pessoal para responder as perguntas por lá também.

Acima de tudo, quero respeitar o tempo de vocês, passamos uma hora aqui. Portanto, obrigado novamente, pessoal. O Kermit está dizendo oi, também. Sim, obrigado a todos. Chris e Nati, obrigado pela presença. Ao pessoal dos bastidores que não estão mostrando suas carinhas, mas que estão trabalhando duro para fazer isso acontecer, obrigado a vocês também. Obrigado por tudo, tenham um ótimo dia.


1:04:19

Nati: SEO é demais.


1:04:20

Chris: Obrigado.

留言


bottom of page