A psicologia dos logos: como as cores, formas e fontes impactam sua marca

Atualizado: 17 de nov.


A psicologia dos logos: como as cores, formas e fontes impactam sua marca

O elemento central de qualquer marca forte é um logo facilmente reconhecível. Pense na Apple, Nike ou McDonald’s, por exemplo, e você rapidamente visualizará uma fruta, um swoosh ou arcos dourados. No entanto, esses logos icônicos não ganharam fama da noite para o dia.


As marcas acima estabeleceram conexões significativas com seus clientes e em seus setores gradualmente. Por meio de decisões de branding meticulosas e ponderadas — além de logos criados estrategicamente — elas chamam nossa atenção, estimulam emoções e, por fim, nos incentivam a comprar seus produtos repetidamente.


Este artigo abordará as implicações emocionais e psicológicas que as cores, as formas e as fontes podem desencadear a partir dos logotipos. Entender a psicologia ajudará você a criar um design de logo mais poderoso e duradouro.



Exemplo de manual de identidade de marca


Por que preferimos determinadas marcas?


Imagine-se em um supermercado, comprando ingredientes para preparar o seu prato favorito. Você vai escolher os produtos, colocá-los no carrinho e ir até o caixa. Mas o que o fez escolher as marcas que levará para casa?


Talvez você não perceba, mas existem respostas psicológicas e emocionais por trás de cada uma de suas decisões de compra. Embora alguns possam argumentar que o preço é o fator determinante, esse nem sempre é o caso.


Então, por que privilegiamos algumas marcas em detrimento de outras? Veja alguns dos motivos:


  • Familiaridade

  • Fidelidade à marca

  • Identificação

  • Identidade social

  • Status

  • Associações emocionais


De acordo com Peter Noel Murray, Ph.D., as emoções influenciam as nossas compras. Ele explica: “Ao avaliar marcas, os consumidores privilegiam as emoções (sentimentos e experiências pessoais) em detrimento das informações (atributos e características da marca)”. Pesquisas revelam que os consumidores percebem características de personalidade nas marcas assim como percebem nas pessoas.


Com isso em mente, fica evidente que a identidade de uma marca deve transmitir aos clientes em potencial exatamente quem elas são e o que representam. No entanto, compradores ocupados nem sempre têm tempo para ler sobre uma marca ou pesquisar os concorrentes — eles geralmente tomam a decisão com base tanto no instinto quanto na emoção.


Agora, volte ao exemplo do supermercado e imagine que você ficou sem o seu produto favorito, o que você faz? Provavelmente examinará as prateleiras e escolherá uma opção semelhante. Sua decisão será baseada no preço? Ou talvez na identidade visual do produto, como o logotipo? É exatamente por isso que um design de logo eficaz desempenha um papel tão importante em seus esforços de branding. Os segundos que você tem para chamar a atenção de um cliente em potencial e atraí-lo são realmente importantes.



A psicologia dos logos


Primeiro, vamos analisar o conceito da psicologia dos logos e o impacto que ela tem. O segredo para um bom design de logo é mais abrangente do que simplesmente escolher suas cores ou símbolos preferidos — é um processo complexo que requer pesquisa, percepção e precisão.


Esteja você trabalhando com um designer ou elaborando o seu próprio com um criador de logo, reconhecer o significado (e o poder) por trás de formas específicas e cores complementares ajudará você a trabalhar de forma mais consciente.


Que mensagem você quer que o seu logo transmita? Como deseja que as pessoas se sintam? Que associações você espera que outros façam com ele? Todas essas questões devem ser consideradas no processo de criação.


Vamos conferir alguns conceitos que podem ajudar a orientá-lo.



Simbolismo


Os consumidores levam apenas cerca de 10 segundos para formar uma impressão sobre um logo, no entanto, são necessárias de 5 a 7 exposições à marca antes que alguém se lembre do seu produto. O uso de símbolos estratégicos pode ajudar a transmitir imediatamente uma mensagem.


Os símbolos geralmente fazem parte de nossa consciência coletiva. Quer apareçam como formas específicas, imagens ou em marcas nominativas, possuem significados e associações universais. Ter isso em mente ao criar seu logo ajudará você a comunicar a mensagem da sua marca com mais clareza.



Símbolos nos logos do Twitter, Rolex e da Apple


Diferenciação


Uma pesquisa da Association for Consumer Research ressalta: “Diferenciação de produto refere-se às atividades de marketing que fazem com que um consumidor diferencie uma marca de outra concorrente. Isso é conquistado quando o consumidor (1.) percebe que a qualidade (objetiva) de uma marca é diferente da dos concorrentes ou (2.) atribui sentimentos a uma marca que a diferencia das outras.”


Usar um logo para destacar sua marca é justamente o segundo método, que visa agregar valor emocional a ela. Ao criar um logo exclusivo que se destaque de seus concorrentes, você pode diferenciar sua marca e incentivar conexões emocionais nos consumidores.



Priming


Priming é o que acontece quando nossos cérebros criam conexões ou associações com outras experiências. Como a Psychology Today define, é um “fenômeno no qual a exposição a um estímulo influencia a resposta a um estímulo subsequente associado. Esses estímulos são muitas vezes palavras ou imagens relacionadas conceitualmente.”


Assim, logotipos eficazes podem acionar a memória, o processamento perceptual e, consequentemente, influenciar a tomada de decisão das pessoas para que elas não escolham a marca apenas uma vez, mas se tornem fiéis a ela.



Teoria da Gestalt


A teoria da gestalt é particularmente importante para designers e desempenha um papel interessante na psicologia dos logos. Resumindo, a teoria afirma que a soma é maior do que as partes individuais. Esse conceito, que foi concebido por um grupo de psicólogos alemães, Kurt Koffka, Max Wertheimer e Wolfgang Köhler, procura entender como os elementos visuais são percebidos pelos humanos.


A Gestalt, que significa “o todo unificado”, pode ser dividida em 6 princípios de design:


  • Proximidade: o layout geral de cada elemento do seu logo e a proximidade entre eles podem denotar importância ou pertencimento.

  • Similaridade: a correlação entre elementos visuais que compartilham os mesmos atributos. Por exemplo, duas formas ou cores com características semelhantes são percebidas como pertencentes à mesma ideia ou grupo.

  • Fechamento: a utilização do espaço negativo para preencher os espaços em branco e a capacidade de visualizar o objeto inteiro, mesmo quando faltam partes.

  • Continuidade: o alinhamento de diferentes elementos pode criar uma percepção de continuidade ou fluxo. Isso é particularmente importante quando o objetivo é chamar a atenção para um elemento específico do logo.

  • Figura-fundo: a relação entre o plano de fundo e o primeiro plano de um logo e nossa capacidade de percebê-los como um todo.

  • Simetria: nem todos os logos precisam ser simétricos, mas esse princípio se refere à proporção geral e ao equilíbrio de um design.

Se você conseguir que esses conceitos de design sejam reproduzidos em seu logo, o resultado parecerá mais coerente e consistente. Analise logotipos como o do World Wildlife Fund for Nature (WWF), da Unilever ou até mesmo os anéis olímpicos, e você verá esses princípios aplicados.



logos que usam a teoria da Gestalt, WWF, Olimpíadas e Unilever


Por que a psicologia dos logos é importante


O sucesso de qualquer logo depende não apenas do design visual, mas também — e principalmente — de como as pessoas o percebem. Para que um logo influencie os consumidores em um nível psicológico ou subconsciente, ele deve ser relevante, significativo e direcionado ao público-alvo certo.



Psicologia das cores do logo


Quando se trata de escolher as cores do seu logo, há muitos fatores que devem ser considerados. Tons específicos podem evocar emoções em particular e transmitir sentimentos únicos. As cores que você selecionar irão representar sua marca, comunicar seus valores e reforçar sua identidade.



Psicologia


Por meio da psicologia das cores, podemos compreender a influência que elas têm nas emoções e no comportamento humano. Por exemplo, o vermelho está associado à paixão, coragem e poder. Em alguns contextos e culturas, o vermelho pode ter conotações negativas relacionadas ao perigo ou à raiva. Por outro lado, o vermelho também é conhecido por estimular o apetite e, por isso, pode ser frequentemente visto em logos de fast food.


Ao entender as nuances e implicações que as cores podem ter na percepção do seu logo e, por sua vez, da sua marca, você certamente será capaz de tomar decisões melhores em seu design.


Aqui está um breve panorama dos atributos de cada cor:


  • Vermelho: paixão, amor, poder e confiança

  • Laranja: confiança, energia, ludicidade e otimismo

  • Amarelo: felicidade, esperança, alegria e diversão

  • Verde: paz, natureza, harmonia e renovação

  • Azul: tranquilidade, calma, inteligência e confiança

  • Roxo: luxo, sabedoria, compaixão e criatividade

  • Rosa: otimismo, inovação, criatividade e feminilidade

  • Preto: potência, modernidade, sofisticação e força

  • Cinza: neutralidade, calma, sabedoria e profissionalismo

  • Marrom: natural, estabilidade, simpatia e conforto



Psicologia das cores do logo


Combinações de cores em logos


Embora cada tom escolhido tenha um impacto no design geral, também é essencial entender a interação entre as cores. Cada combinação de cores pode ter implicações psicológicas específicas no design do seu logo.


Aqui estão alguns detalhes a considerar:


  • Observe os esquemas de cores, como monocromáticos, análogos ou complementares. Ao incorporar a teoria das cores, você selecionará tons harmoniosos e desencadeará a emoção pretendida em relação à sua marca.

  • Idealmente, o design do seu logo não deve conter mais de três cores. Esta é uma regra geral – e é claro que existem exceções – mas uma boa prática a ser seguida.

  • Se você estiver usando um criador de logo, terá esquemas de cores predefinidos que podem ser personalizados com as cores da sua marca. Além disso, poderá encontrar online muitas ferramentas geradoras de paleta de cores que ajudarão a criar as combinações ideais.



Combinações de cores em logos


Dicas para escolher as cores do logo


  • Consistência: depois de definir o logo e as cores da marca, use-os de forma consistente em todos os seus ativos. Isso garantirá que o branding seja reconhecível.

  • Consciência cultural: as cores carregam significados diversos em diferentes culturas. Crie com sensibilidade e consciência para essas diferenças, algo especialmente significativo para marcas globais.

  • Pesquisa de concorrentes e do setor: prestar atenção aos seus concorrentes é fundamental para a compreensão do mercado e do que já existe. Também o ajudará a entender melhor seu público-alvo e como se comunicar mais efetivamente com ele.

  • Tipo de logo: dependendo do tipo de logo escolhido, a cor pode ter um impacto diferente na composição geral. Por exemplo, um logo de emblema pode ter necessidades de cores distintas de um logo de marca nominativa.


Psicologia das formas do logo


Os logos podem ter vários formatos e tamanhos, e entender a psicologia por trás das formas pode impactar não apenas o design do logotipo, mas também a identidade da marca. As formas podem ser categorizadas da seguinte maneira:


  • Formas geométricas: círculos, triângulos, quadrados, retângulos e linhas

  • Formas orgânicas: formatos naturais, curvas e espirais

  • Formas abstratas: formatos abstratos e culturais



Psicologia das formas do logo


Ao considerar a psicologia das formas, você pode se comunicar de forma mais eficaz, aumentar o reconhecimento da marca e a fidelidade do cliente. A escolha do formato de logo certo pode criar uma identidade de marca mais forte e intencional. Isso deixará os clientes mais propensos a criar associações positivas com a sua marca, desejando o seu produto.


Para ilustrar, vamos analisar o logo do Twitter. O icônico símbolo azul que todos conhecemos e amamos passou por uma evolução desde o início da marca em 2006. O que começou como um logo nominativo verde, evoluiu para uma marca de combinação ao introduzir Larry T. Bird, também conhecido como o pássaro do Twitter. Talvez a transformação mais profunda tenha acontecido em 2012, quando o ícone do pássaro ganhou um novo visual e o nome da marca foi removido completamente.


O logo simplificado que prevalece atualmente é apenas o símbolo do pássaro modernizado. Criado por Martin Gracsser, a forma é composta por 15 círculos sobrepostos. As mudanças sutis no logo, incluindo sua forma e orientação, são impactantes. Por exemplo, o pássaro está levemente virado para cima, simbolizando crescimento, esperança e possibilidades. Além disso, os círculos geométricos que definem a forma do pássaro representam a interconexão de redes e amigos.


Se quiser se aprofundar, você pode ler nosso guia completo sobre formas de logos e práticas recomendadas para o tamanho dos logos.



Psicologia das fontes do logo


Existem muitos tipos de logos, alguns compostos de imagens e texto, como marcas de combinação, e outros simplesmente de palavras, como letterforms (formados por uma única letra) e monogramas. Independentemente do que você usar, é essencial escolher uma fonte que represente os valores da sua marca e transmita instantaneamente sua mensagem.


Sua marca é divertida e alegre ou séria e sofisticada? O uso estratégico e ponderado da tipográfica pode ajudar a comunicar esses atributos. De fontes geométricas arrojadas às arredondadas e suaves, a opção selecionada conta a sua história. Além disso, o espaçamento (também conhecido como kerning) entre os caracteres oferece clareza e contexto.


Ao estudar as implicações psicológicas de sua escolha de fonte, lembre-se de que ela desempenha um papel vital na percepção. Por exemplo, fontes com serifa tendem a ser mais tradicionais e, graças à sua legibilidade, são mais comumente usadas em impressos, como livros, jornais e revistas. Por outro lado, fontes script são consideradas mais elegantes e criativas, já que lembram a caligrafia.


Considere o seguinte ao escolher a tipografia do seu logo:


  • Legibilidade

  • Funcionalidade

  • Voz da marca

  • Mensagem da marca

  • Estética geral


Para saber mais sobre psicologia da tipografia, você pode conferir as melhores fontes para logos.



O impacto da tipografia na psicologia do logo


Composição do logo


Além de levar em consideração todas essas teorias da psicologia para o design do logo, você também deve prestar atenção à reciprocidade entre elas. Fora isso, ao criar seu design, explore as últimas tendências no universo dos logotipos.


Aqui estão algumas dicas úteis:


  • Escalabilidade: é importante que o design do seu logo fique bem em qualquer tamanho. Crie uma imagem vetorial de alta resolução que possa ser facilmente adaptada ou ajustada para que seu logotipo fique sempre perfeito, independentemente do contexto.

  • Equilíbrio: se seu logo contém símbolos ou ícones, o tamanho deles pode afetar o posicionamento de outros elementos, como o texto. Se um determinado elemento for maior, ele ganha importância e atrai o foco. Preste atenção à composição geral e ao posicionamento de cada componente para um design coeso.

  • Durabilidade: é importante ter um logo que evolua com sua marca, em vez de um que apenas siga a última moda. Seu logo é o coração da identidade da sua marca e deve ter um design sustentável.

  • Universalidade: o layout do seu logo pode ter significados contrastantes em diferentes culturas, assim como as cores e os símbolos. Por exemplo, nem todos os idiomas lêem da esquerda para a direita e podem considerar objetos à direita ou até mesmo na parte superior como os mais importantes.

  • Forma: considere o uso de espaço negativo, cor de fundo, camadas, alinhamento e legibilidade para definir a percepção do seu logo.


Você pode conferir nosso guia completo sobre dicas de design de logo para uma lista abrangente.




Por Equipe Wix

pt03.png