Mês do Orgulho LGBTQIA+: Design Inclusivo de Sites


Capa do artigo "Mês do Orgulho LGBTQIA+: Design Inclusivo de Sites"

Lá se vão 52 anos desde a revolta de Stonewall, evento histórico que impulsionou o ativismo LGBTQIA+ e o mudou para sempre; e 51 anos da primeira parada do Orgulho, realizada em NY. A partir daí, o mês de junho se tornou o "mês do Orgulho", onde comunidades LGBTQIA+ por todo o mundo celebram quem são e marcham por direitos essenciais.


Aqui no Wix, acreditamos que a inclusão na web é uma parte essencial da criação de sites e da personalização do design de cada página web - não apenas durante o mês do Orgulho, mas diariamente.


Ao criar um site amigável à comunidade LGBTQIA+, você pode tornar a experiência de navegação mais inclusiva e acolhedora não só para essa, mas para muitas outras comunidades. Para te ajudar a começar, aqui estão algumas dicas sobre como fazer um site LGBTQIA+ friendly que abrace a diversidade da comunidade e que elevará sua presença online.



Notas do Wix Rainbow: por que criar um site LGBTQIA+ friendly é importante?



O Wix Rainbow é uma iniciativa interna do Wix que capacita, inspira, apoia e incentiva nossos funcionários a serem inclusivos e defender e apoiar suas comunidades LGBTQIA+ locais. Por isso, antes entrarmos em tópicos mais profundos, conversamos com Alejandro de la Torre, líder do Wix Rainbow EUA, para entender melhor por que isso é importante


Em suma, um site amigável à comunidade LGBTQIA+ é aquele projetado para criar uma experiência autêntica e inclusiva para os membros desta comunidade tão diversa. Mas vamos mergulhar mais nesse assunto.



Crie uma experiência de usuário inclusiva para visitantes LGBTQ +


Quando questionado por que uma empresa ou indivíduo deve pensar em tornar seu site amigável à comunidade LGBTQIA+, De La Torre diz que muitas pessoas não reconhecem que existem preconceitos constantemente reiterados no design e na linguagem. “A comunidade LGBTQIA+ está constantemente experienciando microagressões em conversas cotidianas ou mesmo no universo online - microagressões essas, que não deveriam fazer parte do discurso para começo de conversa”, diz ele.


Tornar seu site inclusivo começa com a experiência do usuário. Quando você aprender a criar um site, começará a considerar os elementos visuais que fazem seu site ter uma boa aparência e os elementos funcionais que garantirão uma experiência de navegação positiva para os usuários. Mas existem algumas propriedades do web design que vão além da forma e da função; as imagens, a linguagem e os dados que você usa também podem afetar emocionalmente os visitantes do seu site.


Para negócios online, o envolvimento emocional entre cliente/visitante e o conteúdo digital de uma marca é uma ferramenta de marketing poderosa. Quando se trata de incluir a comunidade LGBTQIA+, os proprietários de sites devem estar cientes de como seu conteúdo pode fazer com que os grupos se sintam excluídos e até mesmo discriminados.


“A plataforma online, em geral, deve ser mais amigável e inclusiva”, diz de la Torre. Devemos parar de presumir, e ficar menos preocupados com o que nossa sociedade pensa que é certo ou errado e, em vez disso, nos concentrar em criar um mundo melhor e mais bonito para todos”.



Um site LGBTQIA+ friendly é bom para os negócios


Tornar seu site amigável para a comunidade LGBTQIA+ também é uma boa opção para os negócios, ressalta de la Torre. “Tudo deve ser sobre inclusão. As empresas que estiverem atentas a isso não só vão ser inclusivas e celebrar a diversidade, mas também crescerão”, afirma.


Administrar um site e negócios inclusivos ajudará a criar espaço para sua marca na comunidade - e com cerca de 10% dos adultos Brasileiros se identificando como LGBTQIA+ (vale lembrar que apesar da pressão de inúmeras organizações, as questões sobre sexualidade e gênero não fazem parte do Censo, e a cifra de 10% da população, ainda é vista como subestimada pela comunidade), é seguro dizer que o mercado é significativo.


Mas não se trata apenas de uma oportunidade de mercado, fornecer um espaço seguro para os clientes LGBTQIA+ navegarem, comprarem e interagirem online promoverá uma relação de confiança entre clientela e marca, e ainda poderá te levar a se tornar referência em seu nicho de mercado.



Dicas de design para um site LGBTQIA+ friendly


Esteja você criando um site para uma empresa, um blog ou um portfólio online, um de seus objetivos deve ser criá-lo para a ampla gama de pessoas que irão interagir com ele, incluindo a comunidade LGBTQIA+. Pequenos passos podem levar a grandes mudanças, e aqui estão sete maneiras de tornar seu site mais inclusivo:



Como criar um site inclusivo para a comunidade LGBTQIA+


  1. Use imagens diversas de pessoas, famílias e comunidades

  2. Incorpore termos de gênero neutro no texto do seu site

  3. Implemente práticas de segurança amigáveis à comunidade LGBTQIA+

  4. Otimize o SEO do seu site com termos referentes à comunidade

  5. Proteja os usuários LGBTQIA+ contra assédio

  6. Apoie criadores e produtos LGBTQIA+

  7. Não fale apenas sobre inclusão, coloque em mão na massa



01. Use imagens diversas de pessoas, famílias e comunidades


Os recursos visuais podem ser usados ​​em todo o design do seu site para ajudar os visitantes a entender o nicho, os produtos ou serviços de sua empresa. Esses recursos visuais não são apenas representativos, mas também definem o tom para o estilo, a voz e a identidade da marca, moldando a percepção do público sobre o que você representa.


Quando se trata de escolher as imagens para seu site, lembre-se que o mundo é diverso e plural, por isso, escolha imagens que representem diferentes comunidades, como a LGBTQIA+. Você pode incluir a comunidade LGBTQIA+ usando imagens de famílias formadas por pessoas do mesmo sexo, pessoas trans e outros grupos realizando tarefas cotidianas e profissionais. Essa pequena ação de empatia e representatividade permitirá que sua marca conte uma história mais diversa, ao mesmo tempo em que mostra à comunidade LGBTQIA+ que ela é vista e acolhida por sua empresa.


Antes de iniciar a pesquisa de imagens, lembre-se de que muitos sites de fotos de ações gratuitas ainda estão concentrados em clichês heteronormativos. Ao buscar opções mais diversas, recomendamos conferir a Shutterstock, Unsplash e The Gender Spectrum Collection da Vice, cada uma oferecendo centenas de imagens gratuitas de alta qualidade e coleções selecionadas de diversidade.


Quando você cria um site com o Wix, você pode adicionar imagens ao seu site a partir do Gerenciador de Mídia Wix, onde você encontrará muitas opções para imagens e arte vetoriaL que representam e celebram a comunidade LGBTQIA+.



Screenshot do Gerenciador de Mídia do Wix


02. Incorpore termos de gênero neutro no texto do seu site


O conteúdo escrito desempenha um grande papel na percepção e no desempenho do seu site, seja como você descreve a si mesmo e sua equipe em uma página "Sobre nós", como enumera detalhes de produtos em sua loja virtual, ou mesmo o texto curto usado em formulários de contato.


Estamos sempre aprendendo, e podemos sempre evoluir em todas as áreas da nossa vida e atuação profissional. Ao escrever seu conteúdo, você precisa estar ciente que muitas pessoas não se colocam em uma caixa "masculina" ou "feminina". Não é incomum para alguém transgênero ou não-binário sentir frustrações quando, por exemplo, é solicitada a confirmação de gênero, mas não lhe é oferecida nenhuma opção relevante.


“As empresas devem remover questões sobre gênero da conversa”, diz de la Torre. “Perguntas como 'qual é o seu gênero?' Fazem com que todos em transição ou se identificando com um gênero fora dos papéis de gênero que nossa sociedade construiu se sintam discriminados e alienados.


Existem várias formas de aplicar a neutralidade de gênero no texto, e sim, mesmo fugindo à modalidade formal da língua portuguesa, é importante lembrar que assim como os tempos mudam, a linguagem também se adapta, criando recursos comunicacionais que permitem a inclusão, e mesmo a reparação de privilégios simbólicos que estruturam a nossa língua.


No português, é comum ver a utilização do "x" ou de um "@" para indicar a neutralidade de gênero ao final das palavras, mas é preciso lembrar que esse tipo de grafia prejudica tecnologias assistivas para pessoas com deficiência. Sendo assim, uma das opções viáveis é utilizar a letra "e" ao fim das palavras, como, por exemplo, "todes". Para saber mais sobre o desenvolvimento da linguagem neutra, sugerimos a leitura do "Guia para promover a linguagem inclusiva em português" da consultoria para diversidade [DIVERSITY BBOX].


Como enfatiza de la Torre, você deve estar especialmente atento ao solicitar informações de usuários em seu site. Um lugar a ser considerado é o formulário de inscrição por email. “Devemos usar uma linguagem mais neutra que apoie e reforce a inclusão, e as empresas online devem abraçar a mudança”, diz ele. “Em vez de preencher previamente as respostas para perguntas relacionadas ao gênero, por que não deixar um espaço em branco para os usuários compartilharem o que quiserem?”


Se houver um formulário em seu site que solicita aos visitantes que marquem uma caixa para "masculino" ou "feminino", você também deve ter uma opção para "outro". Como alternativa, você pode optar por pular totalmente esta etapa.



03. Implemente práticas de segurança amigáveis à comunidade LGBTQIA+


Imagine o seguinte: um usuário decide pagar por conteúdo protegido por senha em seu site. Eles sacam o cartão de crédito, começam a preencher os dados pessoais, escolhem um nome de usuário e, por fim, uma senha.


Em seguida, eles abordam as questões de segurança, uma prática comum - e até reconfortante - que os usuários encontram ao interagir com um site extra seguro. A primeira pergunta que eles fazem é "Qual é o nome de solteira da sua mãe?" No entanto, e se o usuário não tiver mãe, mas dois pais?


Microinterações como essa podem parecer triviais, mas criam uma barreira entre você e o cliente. Seu site pode proporcionar facilmente uma experiência mais inclusiva para visitantes LGBTQIA+ omitindo casos em que eles possam ficar possam se sentir alienados do mundo digital.



04. Otimize o SEO do seu site com termos referentes à comunidade


Metadados são pequenos pedaços de texto usados ​​em todo o seu site que permitem que os mecanismos de pesquisa saibam como você deve aparecer nos resultados da pesquisa. Isso inclui meta/SEO descriptions, texto alternativo (alt text) e tags. A incorporação estratégica de metadados pode aumentar o tráfego do seu site e permitir que você alcance os públicos certos para o seu negócio, incluindo a comunidade LGBTQIA+.


Este não é simplesmente um hack para um melhor desempenho nos resultados de pesquisa. Quando membros da comunidade LGBTQIA+ procuram um produto ou serviço online, é provável que eles estejam especificando sua pesquisa para encontrar as marcas que os acolhem. Por exemplo, se você é personal trainer e gere um site de fitness, incluir "LGBTQIA+ friendly" na metadescrição de uma aula em grupo chamará a atenção de clientes LGBTQIA+ que procuram um espaço seguro e inclusivo para fazer exercícios


Resumindo, quando for relevante, você pode incluir frases como "LGBTQIA+ friendly" nos metadados do seu site. Isso permitirá que seu site seja mais facilmente encontrado, usado e aceito pela comunidade LGBTQIA+. Sem dúvida, também aumentará o tráfego para seu site.




05. Proteja os usuários LGBTQIA+ contra assédio


Um site tem o poder de construir uma comunidade em torno de sua marca pessoal ou negócio online. Mas esse relacionamento não é uma via de mão única. Como empresa, é sua responsabilidade proteger sua comunidade de clientes quando eles estão em seu espaço.


Isso é especialmente verdadeiro para a linguagem usada nas seções de comentários, fóruns online e blogs. Os usuários LGBTQIA+ podem sofrer assédio e discriminação devido a comentários odiosos e criminosos em qualquer um desses fóruns. Para proteger a comunidade LGBTQIA+ em seu site, você pode monitorar comentários e posts em seu site, ajudar um usuário se ele disser que está desconfortável e investigar ou resolver outros problemas do tipo.


Imagem de um site amigável para a comunidade LGBTQIA+


06. Apoie criadores e produtos LGBTQIA+


A rápida expansão do setor de eCommerce nos oferece inúmeras oportunidades de apoiar os negócios da comunidade LGBTQIA+. Muitas empresas mostrarão solidariedade com a comunidade durante o Mês do Orgulho, criando coleções especiais de produtos e mercadorias, muitas vezes doando uma porcentagem das vendas para marcar a ocasião, mas é importante lembrar que, ao apoiar uma causa ou comunidade, é preciso ir além das datas comemorativas.


Dito isso, quando você torna um site amigável à comunidade LGBTQIA+, tente pensar além dos produtos de arco-íris e apenas do mês de junho. Uma maneira é pesquisar criadores LGBTQIA+ no seu entorno, e com isso, fomentar não só a comunidade, mas também a economia local.



07. Não fale apenas sobre inclusão, coloque em mão na massa


É fácil apoiar as inúmeras causas da luta LGTBQIA+ online, mas provar que sua empresa de fato apoia a comunidade requer ação. Mesmo as marcas que apóiam o Mês do Orgulho em grandes formas, investindo em patrocínios, mercadorias ou campanhas de mídia social, ainda negligenciam os problemas que os usuários LGBTQIA+ enfrentam regularmente na web.


De la Torre destaca que algumas marcas “criam coleções do Orgulho e, em seguida, forçam você a selecionar masculino ou feminino para ver os itens”. Então, embora eles estejam ostensivamente mostrando apoio à comunidade LGBTQIA+, eles não estão fazendo isso de uma forma cuidadosa, deliberada e inclusiva.


Embora não haja nada de errado em gestos grandes e pequenos desempenhando um papel positivo na normalização da cultura LGBTQIA+, como indivíduos, podemos causar um impacto ao nos concentrarmos nas pessoas com quem interagimos diariamente. Como proprietários de sites de negócios, blogs, lojas online e muito mais, isso deve incluir a criação de um site inclusivo para a comunidade LGBTQIA+.


Esperamos que você tenha aprendido a aplicar essas mudanças importantes em seu site. Também recomendamos conversar com membros da comunidade e, se surgir a oportunidade, pedir a um amigo, parente ou colega da comunidade LGBTQIA+ para revisar seu site e ouvir suas sugestões.



Por Equipe Wix


pt03.png